Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO



Domingo, 29.09.13

Benfica 1 - Belenenses 1

Tenho que me desculpar pela a falha da semana passada, mas tudo tem uma explicação. Não me encontrava em Portugal e só liguei o Stream aos 40 minutos e aos 70 já estava a dormir no sofá... é o que dá ver jogos do Benfica e estar cansado ao mesmo tempo! Mesmo assim houve o primeiro golo de Cardozo no campeonato e a parvoíce de Jorge Jesus ao se considerar superior às autoridades.

 

Hoje é dia de eleições, e tal como os jogos de futebol, tudo começa a nulos e acaba com algum resultado, podendo mesmo acabar nulo, mas não foi esse o resultado de ontem. O Benfica empatou 1-1 com uma equipa guerreira e manhosa, onde a maior força de vontade e a maior entrega ao jogo ... e ao passar do tempo acabou por dar frutos à terceira equipa de Lisboa. 

 

Jorge Jesus neste jogo não mexeu muito na estrutura, colocou Fejsa no centro, jogador que vinha a fazer muito bons jogos e Bruno Cortez na esquerda devido à ausência de Siqueira por algum motivo físico. No banco faltava o menino 9 milhões Ola John, deve andar a evoluir muito só com os treinos. Gaitan que vinha de lesão foi só requisitado na segunda parte, fazendo de novo o lado esquerdo ofensivo Markovic.

 

No jogo em si, o Benfica demonstrou-se de novo sem imaginação, sem atitude e sem garra, isto é, sem a imagem de um clube grande que é. Pelo menos em Portugal deveria ser. O sono desta vez não me abalou, não porque o jogo estivesse a ser emocionante, mas sim porque tinha tido uma noite bem dormida e o jantar só ia ser servido pós jogo, na mesma os 100 minutos de jogo foram morosos e desafiantes aos nervos de quem quer ver o Benfica a DOMINAR.

 

----

 

Quem não gosta de Cozido à Portuguesa? Eu cá gosto, mas há sempre umas coisas lá que nos dizem mais do que outras não é?

 

5 estrelas - Couve Branca - OBRIGATÓRIO, eu esqueço sempre a batata, só quero a Couve para acompanhar.

 

Ninguém do Benfica merece comer couve, só batata e mal cozida de preferência.

 

4 estrelas - Mão de Vaca - Sempre um grande apreciador deste monumental petisco, aqui em casa é bastante apreciado e obrigatório num bom cozidinho

 

Não há mão de vaca, só vão comer o chouriço e a carne de Vaca / Porco

 

3 estrelas - Enchidos - Quando falo em enchidos falo em enchidos de qualidade, são sempre algo que aprecio, mas não é obrigatório... a chouriça de cebola é...

 

Luisão - Garay - estiveram razoáveis, nenhum culpa do resultado veio da parte deles.

 

Cardozo - Eu sei, podia ter metido mais um... mas pelo menos um meteu.

 

Perez - Lutador, o único no ataque que tentou algo mais.

 

Maxi - alguns erros, alguns passes falhados... mas um entrega acima da média, se todos se entregassem assim... o resultado teria sido diferente

 

Artur - sem culpa no golo, não teve erros de maior nem defesas de maior.

 

2 estrelas - Carne de Vaca quando seca - incrivelmente esta será das únicas peças de comida que me criam algum tipo de desconforto nos dentes, além de seca consegue por vezes fazer com que o uso do palito seja essencial.

 

Cortez - esforçado mas pouco eficiente

 

Fejsa - merecia um 3 pelo que fez durante o jogo, mas o lance do golo do Belenenses podia ter feito muito mais

 

Matic - de forma incrível a parelha Fejsa - Matic não funciona muito bem para Matic. Pouco presente no jogo.

 

Lima - tirando a assistência, pouco fez, e quando fez, fez mal.

 

Gaitan - pouco me lembro dele.

 

Sulejmani - ainda tentou desequilibrar, mas pouco deu.

 

Rodrigo - um bom cabeceamento, mais 10 minutos em campo podia ter sido benéfico para o Benfica

 

1 estrela - Cenoura - um elemento que eu acho dispensável, para outros não, acaba sempre por dar um gosto diferente...

 

Markovic - pobre pobre a exibição. Acho que ele no lado esquerdo pouco produz, mas desta vez a exibição foi mesmo fraca. 

 

 

Quarta feira há jogo para a Champions e mesmo sendo com uma equipa superior ao Benfica, espero que o meu clube dignifique o bom nome do futebol portugues.

 

PS - Miguel Rosa não jogou no lado dos azuis, era um jogador (ex do benfica) que eu gostava de ver a jogar, fica para a próxima.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por SamuelOkunowo às 19:49

Domingo, 29.09.13

Sp. Braga 1 - Sporting 2 - Sofrer para ganhar

O Sporting esteve muito perto de não ganhar em Braga e, se tal acontecesse, podia certamente dizer que o Sporting perdia dois pontos. Dadas as circunstâncias do jogo (o domínio da partida, as oportunidades desperdiçadas, a forma displicente como foram abordados alguns lances), a vantagem estava à mercê, e parecia que iria acontecer a qualquer momento... mas não acontecia. Apesar do golo madrugador, o Braga controlou as operações até à expulsão, passando posteriormente a tentar o contra-golpe ocasional, através da velocidade e experiência dos seus jogadores. Felizmente, após o remate traiçoeiro de Alan, a inspiração não voltou a surgir do lado do Braga... só que do lado do Sporting a mesma teimava em não aparecer. É certo que o jogo foi condicionado pelo estado do tempo (chuvoso), mas a equipa teve elementos claramente desinspirados. Adrien falhou demasiados passes, André Martins não teve acutilância no último terço do terreno e Carrillo levou certamente ao desespero todos os adeptos do Sporting quer no estádio, quer na televisão. Jardim esteve bem na entrada de Wilson ao intervalo, contudo pareceu-me que Adrien esteve (muitos) minutos a mais em campo, numa noite em que estava totalmente desinspirado (um pouco à semelhança do último jogo... esperemos que não seja para continuar). Apesar de ser ingrato entrar a poucos minutos do final com a equipa a precisar de marcar, Slimani é uma opção bastante interessante para este tipo de jogos. Apesar de não ter tido nenhuma oportunidade para finalizar, ganhou algumas bolas divididas e tabelou bem com os colegas. Estou curioso para o ver em acção em condições normais de jogo, se não for antes, num qualquer jogo da Taça da Liga.
 

Destaco as exibições de Cédric (jogo regular, resolveu num pontapé de fora da área), Montero (continua a superar as melhores expectativas), Maurício (também continua a superar as melhores expectativas), Jefferson (apesar de mais apagado, somou mais uma assistência).
 

Este é o tipo de jogo que faz a diferença: quando a equipa não joga muito bem e consegue ganhar. Já tinha abordado esta questão na última crónica, e será neste aspecto que se verá, ou não, o crescimento da equipa. Segue-se o Setúbal em Alvalade (treinado por alguém que me parece ter um ódio visceral ao Sporting... ao estilo de Manuel Cajuda), antes de uma visita ao Porto que promete ser tudo menos tranquila, isto tendo em conta as últimas semanas no futebol português....

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 10:55

Quinta-feira, 26.09.13

Começou o campeonato!

Como quem deita uma aspirina num copo de água, a quinta ronda deixou a Liga 2013/14 em efervescência.

Na antevisão à jornada, Jorge Jesus lançou as primeiras críticas da temporada, neste caso às arbitragens de jogos alheios, e no final do jogo de Guimarães vestiu a pele de agente da autoridade, envolvendo-se numa quezília entre adeptos invasores, seguranças privados e polícias, que promete tornar-se em mais um folhetim do futebol português – durará semanas? Meses? A época inteira? Tem a palavra o Conselho de Disciplina.

Seguiu-se o Estoril-FC Porto, que também foi cheio para Paulo Fonseca. Durante a primeira parte, o técnico portista foi alvo de palavras quentes e boas do treinador canarinho Marco Silva, e no final da partida, depois de sanado o assunto, logo deu resposta às tais críticas de Jesus.

Sobram ainda o relato de provocações e agressões na tribuna da Amoreira entre dirigentes portistas e o presidente da AF Lisboa, e um comunicado do Benfica a disparar contra Fonseca e outras direcções mais ou menos indefinidas.

Já se pode dizer sem receios que o campeonato começou. E em que rico ponto começa! Fora do campo a temperatura sobe, e lá dentro os quatro primeiros estão separados por três pontinhos apenas.

Aguardam-se cenas dos próximos capítulos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 12:33

Quinta-feira, 26.09.13

GD Estoril-Praia 2-2 FC Porto - Acidente na Linha

O comboio azul-e-branco entrou na Linha do Estoril… e descarrilou. À quinta jornada o FC Porto cede os primeiros pontos e faz disparar os alarmes, naquela que foi a segunda exibição consecutiva em tons de um azul baço, desta vez sem rasgo suficiente para resolver o jogo a seu favor, e desperdiçando duas situações de vantagem no marcador.

O empate resulta de um conjunto de motivos, a começar pela prestação valorosa dos estorilistas, que souberam aproveitar a embalagem de uma exibição positiva diante do Sevilha na Liga Europa, apesar da derrota. A isso junte-se um falhanço incrível de Varela, que deitou o 1-3 borda fora juntamente com o seu estatuto de fundamental, um meio-campo que não se conseguiu impor, e para completar o ramalhete, algum nervosismo na defesa, especialmente depois de Mangala, Otamendi e Alex Sandro terem sido “amarelados”.

O quadro não era animador, mas o FC Porto pode bem queixar-se de extrema infelicidade nos dois golos que sofreu. No primeiro, de grande penalidade, o árbitro Rui Silva também se mostrou perdido na linha, pois a falta acontece fora da área de rigor; no segundo, o cabeceamento de Sebá desvia nas costas de Danilo, tirando a bola do caminho de Otamendi para a colocar nos pés de Luís Leal.

Estavam decorridos 80 minutos, e só à entrada para os descontos, já depois de o mesmo Luís Leal quase ter feito outro golo, Paulo Fonseca decidiu lançar Ghilas no jogo. Ninguém garante que o argelino carimbaria a estreia com um golo, mas a necessidade de nova vantagem justificava que o avançado tivesse entrado uns minutos mais cedo.

Salvaram-se os golos de Licá e Jackson Martínez, para um empate que conserva o FC Porto na liderança, mas agora apenas um ponto à frente do vice-líder, e com o quarto classificado a três pontos de distância.

Com a margem de erro reduzida, o jogo diante do Vitória minhoto na próxima ronda assume enorme importância. O encontro está marcado para sexta-feira, e um resultado positivo pode ser capitalizado pelo desenlace do confronto de sábado entre Braga e Sporting, segundo e terceiro classificados.

E não é que a Amoreira acabou mesmo por se transformar numa espécie de Mata Real?

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 12:32

Segunda-feira, 23.09.13

Sporting 1 - Rio Ave 1 - O primeiro resultado negativo da época

... e foi o primeiro resultado negativo da época, não necessariamente devido ao resultado (empate) mas sobretudo devido ao rendimento da equipa. Ao contrário das equipas rivais, o Sporting ainda está um pouco longe do patamar em que consegue ganhar mesmo jogando mal e, assim sendo, não tendo jogado bem, o Sporting não conseguiu ganhar desta vez. É certo que o Rio Ave teve também mérito neste resultado: pressionou bem, tapou bem os construtores de jogo do Sporting e apresentou uma boa atitude e entrega. Pelo contrário, o Sporting, após se apanhar em vantagem (através de um lance, no mínimo, estranho) baixou o ritmo (que já por si era baixo...), passou para o modo super-poupança de esforço e foi sem surpresa que não conseguiu segurar a vantagem até ao final. Apesar da euforia do inicio de época (normal, dado o terror da temporada passada), mesmo tendo um calendário menos preenchido, a equipa do Sporting ainda está longe da consistência que o treinador e dirigentes pretendem. Há jogadores que anda mantém a irregularidade da época passada (Carrillo), outros que estão no processo de aprendizagem (Dier, William) e infelizmente não há milagres que mudem tudo repentinamente. 

 

Destaco a exibição do Wilson Eduardo (um excelente golo, numa situação em que falharia 9 em 10 tentativas!), do Jefferson (ainda a manter uma regularidade agradável) e Montero (quase marcava na única oportunidade digna desse nome). 

 

É certo que Montero deixou de marcar (algum da teria de ser), e o rendimento da equipa baixou para níveis preocupantes sem que nada o fizesse esperar, mas espero que a tendência seja para melhorar, aumentando a consistência aos poucos. Interrogo-me se Slimani não deverá ter a oportunidade de jogar mais minutos contra este tipo de equipas e se André Martins conseguirá impor o seu futebol contra equipas fisicamente mais agressivas (Vítor está à espreita). Segue-se o Braga, que nos fez o favor de levar o Prof. Jesualdo para o Minho, num jogo que será tão ou mais difícil quanto este. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 16:43

Domingo, 22.09.13

Liga dos Campeões - FK Austria 0-1 FC Porto - A diferença esteve no poste

Viena. A Jerusalém do FC Porto. Mais uma visita e nova vitória, agora no arranque da sua 18.ª participação na Liga dos Campeões. O jogo era histórico, não só por ser o regresso do FC Porto a um estádio-chave do seu percurso europeu, mas também porque o Austria Viena se estreava na Liga dos Campeões – e ao mesmo tempo dava ao futebol austríaco a primeira presença na fase de grupos em oito anos.

No entanto, a carga emocional do jogo não se reflectiu num grande espectáculo de futebol. Nem o FC Porto conseguiu vincar a diferença de experiência e de valor entre as duas equipas com futebol jogado. A diferença ficou antes marcada pelo poste esquerdo da baliza de Helton, que impediu a resposta certeira do Austria, num cabeceamento de Stanković, dois minutos depois do golo de Lucho González.

O golo do argentino foi uma das poucas jogadas com pés e cabeça do FC Porto, que emperrou perante a raça com que os Veilchen jogaram, e que lhes permitiu ganhar muitos livres no meio-campo adversário, muitas vezes pelo expansivo lateral-esquerdo Suttner.

De resto, ficou ainda na retina um remate com lume de Fernando, logo no início do jogo, que o guarda-redes Lindner rechaçou para canto, e um lance de Hosiner, que pregou um susto ao FC Porto, rematando às malhas laterais depois de se isolar diante de Helton.

O técnico Paulo Fonseca promoveu apenas alterações pontuais no onze titular em relação ao jogo com o Gil Vicente. A juntar à troca do ainda verde Quintero pelo experimentado Lucho, foi Mangala a jogar de início devido à lesão de Maicon, e Josué estreou-se na Champions por Defour estar de castigo, mas a exibição portista foi muito semelhante à do jogo do último sábado, ainda que o Austria tenha colocado problemas que o Gil Vicente não foi capaz de colocar. Talvez se Jackson estivesse de pontaria afinada o segundo golo pudesse ter aparecido. Mas não apareceu.

Sobra uma vitória importante no arranque europeu, e um milhão de euros na conta do FC Porto. Tendo em consideração que os restantes adversários na Liga dos Campeões são tudo menos pêra doce, o rendimento da equipa terá forçosamente de subir, sob pena de o grupo se transformar num pesadelo. A primeira prova-dos-nove tirar-se-á a 1 de Outubro, na recepção ao Atlético de Madrid.

Para já, a próxima paragem do FC Porto é no Estoril – que também jogou para a Europa esta semana –, onde se espera um jogo difícil, contra uma equipa que gosta de ter a bola e de explorar o ataque sem receios. Quem acusará menos cansaço? Haverá pessoas estranhas nos viadutos perto do estádio prontas a apedrejar o carro de Pinto da Costa? Fará o Estoril do seu estádio a Mata Real do sul? Ou o FC Porto será superior a tudo isso e trará os três pontos para casa?

Respostas no domingo às 20h15.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 00:03

Sábado, 21.09.13

CL #1 - Benfica 2 - Anderlecht 0

 

Aqui começou a mágica liga dos campeões, a liga que move milhões de corações, milhões de euros e dá milhões de motivações aos jogadores para lá brilharem. E assim foi, o Benfica conseguiu pelo primeira vez este ano ter uma exibição de que me dá esperança, a esperança que eu necessitava para ainda acreditar que há mais 26 jornadas pela a frente e que teremos boas oportunidades de as vencer se assim continuarmos a crescer.

 

Voltando à liga mágica, o Benfica apresentou-se num 4-5-1 que me fez lembrar o Benfica quando o Witsel veio cá parar, um meio campo mais preenchido e só com um avançado centro. Posso dizer que resultou, o Benfica acabou por controlar o jogo, não em posse de bola, mas na inteligência de atacar e defender. Os golos acabaram por aparecer, com um pouco de sorte, mas o mais importante foi a maneira que o Benfica conseguiu gerir essa vantagem.

 

 

Hoje o tópico de cotação de jogadores é relativo a refrigerantes, não numa ordem de Óptimo - Péssimo como se tem vindo a fazer, mas sim numa ordem do "eu gosto, mas tenho preferências". 

 

1 - Coca-Cola (Sem duvida a melhor bebida de sempre) ... e posso acrescentar que estou a beber um copito de cola neste momento.

 

Fejsa - Irrepressível  passe curto e médio de bastante qualidade, posicionamento fabuloso, um verdadeiro tanque de guerra de elite.

 

2 - Pepsi (A concorrente, mas... divinal na mesma)

 

Luisão - Esteve bem, bastante seguro e com o extra de ter marcado um golo de belo efeito.

 

Siqueira - Bastante sólido no seu lado, sabe defender e melhor, sabe quando deve atacar.

 

Garay - é o que espero dele, jogos em que domina no jogo aéreo e que não comete erros de maior

 

André Almeida - gostei de o ver, muito seguro a defender e muito objectivo quando atacou (merece mais minutos)

 

Enzo Perez - não é um Sálvio no lado direito, mas sendo mais pausado fez com que o André Almeida se tornasse mais importante na movimentação ofensiva.

 

Matic - este é 3 estrelas e meio. Joga bem mas ao mesmo tempo não faz aquela diferença... mas vou pela regularidade.

 

Cardozo - gostei, esteve bem na luta com os defesas, guardou a bola (WOW), soube distribuir com qualidade e ainda tentou a sua sorte nos momentos certos.

 

3 - Fanta Laranja (a portuguesa, aquele bem cor de laranja, não a fanta espanhola que é mais pálida)

 

Markovic - este miúdo tem qualidade, tem velocidade ... mas ainda lhe falta alguma maturidade, por vezes exagerava nas suas correrias... mas quem sabe, uma podia dar certo.

 

Djuricic - sim... ele marcou o primeiro golo, até teve bons pormenores mas isso só foi nos primeiros 20 minutos. De resto andou muito desaparecido, mostrou alguma debilidade física (ganha corpo rapaz).

 

4 - Frisumo Ananás (sempre adorei a vertente ananás do frisumo, mais real do que a dos concorrentes Sumol e Fanta)

 

Ola John / Lima / Maxi Pereira - entraram quando o jogo já estava mortinho, tanto para o Benfica como para o Anderlecht, o exemplo disso foi a entrada de Maxi para o lugar de médio direito.

 

5 - 7up (fresquinha é excelente, a melhor da gama que representa)

 

Ninguém está aqui :)

 

De notar a pouca afluência de adeptos, mas toda a gente sabe porque não é? Pode ser que a jogar assim o próximo jogo já tenha lá 50 mil.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por SamuelOkunowo às 01:09

Terça-feira, 17.09.13

Benfica 3 - Paços de Ferreira 1

Os jogos do nosso campeonato lá voltaram e o Benfica teve um encontro com o Paços de Ferreira, uma equipa que está com uma crise enorme de resultados e felizmente assim continuou. 

 

Posso dizer que tive curiosidade de ver como o Siqueira iria jogar, estando já à espera que fosse melhor que Bruno Cortez e foi mesmo o que aconteceu. Outra das grandes curiosidades era ver de novo Cardozo a titular, desta vez teve quase 2 semanas para se preparar, mas mesmo assim acho prematura a inclusão deste no 11 inicial.

 

Digamos que o Benfica jogou com um 11 estranho, visto que as lesões nos tem fustigado de forma quase cruel. O guarda redes foi o mesmo, o quarteto defensivo era o que se esperava, mas o meio campo é que esteve diferente. Enzo estava na direita no lugar de Salvio, e Markovic no lado esquerdo no lugar de Gaitan, sendo o miolo composto pelo o expectável Matic e com Rúben Amorim. No ataque Lima e Cardozo, os craques do ano passado.

 

O Benfica começou bem, não super bem, mas fez o necessário para que aos 25 minutos já tivesse a ganhar 2-0. O Paços de vez em quando assustava devido à sua velocidade no ataque, que aliada a lentidão defensiva do Benfica ainda mais efeito tinha. O ponto crucial do jogo foi quando Rúben Amorim se lesionou e deu lugar à entrada a Fejsa, a partir deste momento acho que o Benfica dominou o meio campo defensivamente, o jogador entrou bem e deu um pulmão ao meio campo do Benfica, jogador que poderá ser importante quando o Benfica necessite de proteger uma vantagem ou que queira ter uma linha defensiva mais protegida. De resto, o Paços marcou numa azelhice defensiva Benfiquista, tendo esse golo logo uma resposta da parte do Benfica que conseguiu num canto alargar de novo a vantagem. 

 

---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- ---- --

 

Voltando a fazer a cotação dos jogadores, hoje temos o tema filmes de terror / suspense.

 

5 estrelas - Psyco, um filme cheio de suspense que nos deixa sempre a pensar quem será a próxima vitima.

 

Garay - depois de golos só lhe posso dar 5 estrelas. Não vejo mais ninguém ao nivel dele este jogo.

 

4 estrelas - A história de duas irmãs. Aqui o clima é mais terrorífico  deixando sempre aquele formigueiro na barriga.

 

Enzo - Finalmente uma boa exibição, fisicamente vejo-o melhor.

 

Fejsa - Dominou o meio campo, passes acertados e cortes com qualidade.

 

Siqueira - Bom jogo, tanto defensivamente como ofensivamente.

 

Maxi - Está a subir de rendimento, já vejo outra disponibilidade física.

 

3 estrelas - The Cave - filme típico, mas que dá gosto de ver

 

Matic - a jogar bem mas sem impressionar. Se isto é o pior de Matic, não fico triste de o ver jogar mal.

 

Lima - esforçado, tenta dar dinâmica ao ataque, mas anda a falhar na altura de meter a bola lá dentro.


Ruben Amorim - esteve em campo até ao 2-0 do Benfica, um jogador que nos tráz uma certa regularidade, mas de certa forma Fejsa esteve melhor.


Markovic - um pouco desaparecido, acho que o lado esquerdo não lhe faz muito bem. Mesmo assim teve influencia nos golos do Benfica.


Luisão - Regular, mas a sua falta de velocidade foi importante no golo sofrido.


2 estrelas - Audition - perturbador sim, muito parado sim ... não combina comigo

 

Cardozo - falta ritmo, falta ganhar bolas pelo ar, falta proteger a bola ... parece que estou a falar de Cardozo, mas habitualmente ele sobe no ranking quando consegue meter a bola lá dentro

 

André Almeida - Entrou e pouco fez

 

Ola John - Outro que entrou e pouco fez

 

Artur Moraes - mais um erro à lá final da taça de portugal, felizmente não deu em nada. Acho que no golo do Paços poderia ter ido mais a matar...

 

1 estrela - Swaney : Flesh of Man - aquele tipo de filme que parece que foi feito para retardados... mesmo assim tem 1 estrela, há os tais que nem isso merecem.

 

Ninguém felizmente 



Para finalizar, o Benfica não consegue ter o mesmo ritmo durante um jogo inteiro, espero que o continua do campeonato e com as soluções que temos que isso aconteça de uma forma regular.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por SamuelOkunowo às 00:06

Segunda-feira, 16.09.13

FC Porto 2-0 Gil Vicente FC - Nem sempre a memória é curta

À margem do jogo, que se eu não estivesse no estádio certamente me teria feito adormecer no sofá, há a reter uma gradação da memória colectiva portista.

Aos 34 minutos Bruno Moraes entrou em campo e foi aplaudido, ou não tivesse ele apontado o golo decisivo ao cair do pano de uma vitória sobre o Benfica por 3-2, em 2006/07; aos 62 minutos entrou Cláudio Pitbull, outro ex-dragão, que não suscitou qualquer reacção do público; e a treze minutos do fim, é substituído César Peixoto, mais um antigo jogador do Porto, este debaixo de uma ruidosa assobiadela, ou não tivesse ele dito que “o Benfica é muito maior que o FC Porto”, quando vestia de encarnado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 14:30

Segunda-feira, 16.09.13

FC Porto 2-0 Gil Vicente FC - No poupar está o ganho

Mais um dérbi minhoto, como diria João Pinto. Da recepção ao Gil Vicente, à qual assisti in loco, não fica uma grande história para contar, como tantas vezes acontece em vésperas de jogos europeus.

O FC Porto venceu tranquilamente, numa partida morna, em que mais uma vez demonstrou que com Paulo Fonseca a equipa é mais elástica nas suas movimentações do que era com Vítor Pereira. O resultado é uma maior procura e abertura de espaços, forçando mais descompensações no adversário.

Em menos de meia hora os dragões colocaram o resultado fora de questão. E se é verdade que o Gil Vicente se apresentou no Dragão sem a sua dupla de centrais – que fora expulsa na jornada anterior, naquela heróica vitória sobre o Braga – também é verdade que não foi por aí que os gilistas não conseguiram intimidar como tinham feito na Luz.

Na vertigem das jogadas ao primeiro toque, Varela, que poderia agora ter a alcunha the fundamental one, demorou oito minutos a justificar as palavras de Paulo Fonseca durante a semana – “Varela pode ser fundamental”, “vai ser importantíssimo no FC Porto” – e cha cha cha Martínez, mesmo parecendo que está com a cabeça no clube que vai representar a seguir, voltou a picar o ponto. Até ao intervalo, do Gil Vicente nem sinal.

Só na segunda parte os minhotos se aproximaram mais da área adversária, numa altura em que a gestão de esforço portista lhes permitia ter mais bola e algum espaço para explorar. Ainda assim, só com relativo perigo, excepção feita a uma jogada em que Helton evitou no limite um lance semelhante aos que deram os golos do FC Porto. É a eterna questão de uma equipa só jogar aquilo que a outra deixa.

Com 12 pontos em 12 possíveis no campeonato, segue-se o arranque da Liga dos Campeões, com uma visita ao debutante Áustria de Viena, num estádio talismã para o FC Porto. Foi no Ernst-Happel que os dragões venceram a sua primeira Taça dos Campeões, e das duas vezes que os dragões lá voltaram (2002/03 e 2010/11, esta com um manto de neve a evocar Tóquio’87), a época terminaria com a conquista da Taça UEFA/Liga Europa. Será este novo regresso a Viena um sinal?

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 14:27

Pág. 1/2




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2013

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930