Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO



Quinta-feira, 26.05.16

VITÓRIA FC 2015/16

Alguém apagou ao luz ao Vitória quando começou a segunda volta do campeonato. Nono colocado após a 17.ª jornada, o Setúbal terminou em 15.º, um pontinho apenas acima da linha fatal, e só garantiu a manutenção na última jornada, com um empate sem golos diante do Paços de Ferreira no Bonfim. Foi o único jogo da segunda metade da temporada em que o Vitória não sofreu.

Os sadinos começaram a sua carreira com a torneira dos golos, tanto marcados, como sofridos, a jorrar indefinidamente. À 14.ª jornada o Setúbal tinha mesmo mais golos marcados que o Sporting (26 contra 24). Até que a equipa deixou de marcar golos, pelo menos em quantidade suficiente. O Setúbal completaria mesmo uma sequência de 21 jogos consecutivos a sofrer, entre as jornadas 13 e 33, e só por seis vezes manteve a folha limpa nos jogos da Liga NOS. Durante a primeira volta o Setúbal marcou 28 golos e sofreu 30; daí para a frente fez 12 golos, sofrendo 31.

A quebra de produtividade em frente à baliza contrária justifica o péssimo percurso sadino na segunda volta, na qual venceu apenas um jogo (!), frente à Académica (2-1) na 19.ª jornada, e empatou cinco, sendo a pior equipa desse período da época. Os 61 golos sofridos foram o terceiro pior registo defensivo neste campeonato.

O Vitória foi ainda a terceira equipa que somou menos pontos a jogar em casa (15, contra 14 do Moreirense e 13 do Tondela), e aquela que menos jogos venceu como visitado (apenas dois). O conjunto setubalense foi presa fácil para o Sporting, que venceu os dois encontros por um resultado combinado de 11-0, e fez apenas três pontos frente às equipas que ocuparam os primeiros seis lugares na tabela final.

Na sua segunda passagem pelos bancos da I Liga, depois de orientar o Feirense durante 25 jogos em 2011/12, o treinador Quim Machado parecia estar a caminho de ser o primeiro treinador que não se chama José Couceiro a levar o Setúbal a bom porto desde Carlos Carvalhal, em 2007/08, mas não conseguiu reerguer a equipa quando os triunfos desapareceram. O Vitória terminou mesmo a campanha na Liga com uma série de 15 jogos sem vencer, que incluiu cinco derrotas consecutivas numa altura nada conveniente (jornadas 29 a 33), em que a descida já se tinha tornado num cenário bem real à beira-Sado.

André Claro foi o melhor marcador da equipa no campeonato, com respeitáveis 12 golos, mas o treinador bem se pode queixar de ter perdido a sua outra arma ofensiva, o sul-coreano Hyun-Jun Suk, que fez nove golos antes de rumar ao FC Porto em Janeiro, onde apenas faria mais dois golos nas poucas oportunidades que teve (um no campeonato e outro na Taça de Portugal, prova na qual tinha já apontado dois tentos pelos sadinos). Arnold, Costinha e André Horta foram também nomes em foco no plantel do Setúbal, a par com Frederico Venâncio, este no sector mais recuado.

O terrível final de temporada tornou então o bom início numa nota de rodapé, ao mesmo tempo que sublinhou que não existem anos tranquilos no Vitória de Setúbal. O clube não termina duas épocas consecutivas acima do 10.º lugar desde 1988/89 e 1989/90, quando ficou em 5.º e 7.º lugares, respectivamente.

Contas finais

Campeonato: 15.º lugar, com 6v, 12e, 16d, 40gm, 61gs, 30pts

Taça de Portugal: eliminado nos oitavos-de-final (Rio Ave, 1-1 a.p., 1-3 g.p.)

Taça da Liga: afastado na 2.ª eliminatória (Moreirense, 1-0)

Para mais tarde recordar

24.08.2015, jornada 2 – ao vencer em Coimbra por 0-4, o Setúbal obteve a sua maior vitória fora de casa desde Setembro de 2002, quando venceu nos Barreiros por 0-5;

25.10.2015, jornada 8 – vence pela primeira vez em Moreira de Cónegos em jogos a contar para a I Liga;

05.12.2015, jornada 12 – consegue o seu maior triunfo de sempre em casa do Belenenses (0-3).

 

Para esquecer

06.01.2016, jornada 16 – ao perder por 0-6, sofre a pior derrota caseira com o Sporting desde 1959/60 (1-7);

31.01.2016, jornada 20 – derrotado por 2-1, o Setúbal continua sem vencer em Vila do Conde, incluindo todas as competições. Só na I Liga são já 20 visitas sem nunca ter trazido os três pontos;

19.03.2016, jornada 27 – ao perder por 0-1, o Setúbal continua sem ganhar em casa ao FC Porto desde 1982/83;

03.04.2016, jornada 28 – ao empatar a dois golos, o Vitória continua sem ganhar em casa do União em jogos da I Liga.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 13:45




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2016

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031