Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO

Todas as fotografias neste blog encontram-se algures em desporto.sapo.pt, salvo indicação em contrário


Terça-feira, 13.08.19

Liga dos Campeões, 3.ª pré-eliminatória, 2.ª mão - FC Porto 2-3 FC Krasnodar - Fora dos planos

FCPKRA.jpg

Até dá vontade de ir apressadamente verificar todos os calendários e agendas, mas não há engano. É mesmo 13 de Agosto e o FC Porto está fora da Liga dos Campeões. Escrever a segunda parte da frase anterior tão cedo na época é tão impensável quanto um 0-3 em 34 minutos de jogo. Aí, há mérito do conjunto russo, que foi cirúrgico na forma como deu a volta à eliminatória. Logo ao minuto 3, num pontapé de canto, Tonny Trindade de Vilhena ficou esquecido ao segundo poste e rematou cruzado a contar; aos 12, num contra-ataque que beneficiou de um corte de Corona directamente para os pés de Wanderson, Suleymanov, isolado, não teve dificuldades em bater Marchesín. O mesmo Suleymanov, agora em lance individual, assinaria o terceiro do Krasnodar com um remate cruzado. O estrondo foi tal, que os dragões não conseguiam melhor que alternar passividade com letargia, e vice-versa. Nakajima era dos poucos que motravam alguma presença mental, procurando constantemente mostrar-se ao jogo para receber a bola e distribuir, mas à sua volta Marega e Luis Díaz eram pouco mais que inconsequentes, enquanto Corona, apesar de esforçado, estava demasiado individualista. Sérgio Conceição fez o mais natural nestas circunstâncias, ao tirar o lateral Saravia para colocar o ponta-de-lança Zé Luís (37'), mas a equipa, atordoada, demorou algum tempo a reagir. Logo a seguir à saída de Sérgio Oliveira por lesão (49'), foi por pouco que o Krasnodar não fez mais um golo, em novo lance de transição rápida (52'), mas Marchesín foi gigante a negar a finalização de Berg. Pouco depois (57'), o FC Porto finalmente tinha sucesso nalguma coisa; numa jogada de envolvência Alex Telles cruzou para a zona frontal, onde Zé Luís se elevou para cabecear para o fundo das redes. Só aqui o FC Porto colocou o coração em campo - porque a cabeça, na verdade, nunca chegou a aparecer. Ainda assim, essa nova intensidade serviu para pouco mais que mostrar que o FC Porto tinha algum futebol dentro de si. O golo de Luis Díaz (76'), num bom remate curzado, ainda fez os dragões acreditar que era possível sair do buraco em que se tinham metido, mas até final não haveria mais oportunidades. E assim, 19 anos depois, o FC Porto volta a despedir-se da Champions antes da chegada ao quadro principal. O choque é bem maior que nesse Agosto de 2000, pois na altura a 3.ª pré-eliminatória era a última e o carrasco foi o Anderlecht, um grande do seu país. Perder para o Krasnodar estava fora dos planos - excepto para os próprios russos, claro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:59

Sábado, 10.08.19

Liga NOS, 1.ª jornada - Gil Vicente FC 2-1 FC Porto

GVFCP.jpg

Não assisti ao jogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:50

Quarta-feira, 07.08.19

Liga dos Campeões, 3.ª pré-eliminatória, 1.ª mão - FC Krasnodar 0-1 FC Porto

KRAFCP.jpg

Não assisti ao jogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:00

Sábado, 01.06.19

CD FEIRENSE 2018/19

FEI - golo.jpg

A mãe de todas as despromoções
31 jogos sem vencer. Recorde do campeonato português. E por larga margem. A partir daqui a fasquia de uma descida de divisão em estilo fica demasiado alta. O Feirense entrou de rompante, batendo Rio Ave (2-0) e Vitória de Guimarães (0-1), mas só voltaria a vencer na derradeira jornada da época (2-1 frente ao Aves).

FEIAVE.jpgAtenção, não foram as únicas vitórias do ano, pois na Taça de Portugal os fogaceiros chegaram aos quartos-de-final e na Taça da Liga venceram três dos quatro encontros que disputaram. Fora isso é surreal. Que mais se pode dizer da temporada de uma equipa que não saboreou uma vitória no campeonato entre 20 de Agosto e 18 de Maio seguinte? Virtualmente despromovido à jornada 30, na qual entrou em campo já com esse nefasto estatuto, o Feirense ainda encontrou forças para apontar oito golos em dois jogos (jornadas 32 e 33)... e mesmo assim não vencer! Foram dois empates consecutivos a quatro bolas (Chaves em casa e Santa Clara fora), nos quais os homens da Feira não conseguiram segurar cinco situações de vantagem. O Corte Limpo pede desculpa por não ter investigado se há alguma ocorrência anterior de dois 4-4 consecutivos.

 

TREINADORES

FEI - Nuno Manta.jpgNuno Manta, treinador do ano em 2016/17, saiu ao cabo de 20 jogos. O Feirense levava 18 sem ganhar...

FEI - Filipe Martins.jpg

... e Filipe Martins, vindo do Mafra, ficava com o menino nas mãos. O técnico foi pouco mais que impotente para reverter o rumo que a equipa levava.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 13:00

Sábado, 01.06.19

CD NACIONAL 2018/19

NAC - golo.jpg

Após um ano de ausência, o Nacional trouxe consigo golos. Os 34 jogos dos alvinegros neste campeonato renderam 106 golos; só os encontros do Benfica tiveram mais (134). Infelizmente, só 33 desses golos foram dos insulares, o que significou uma época de regresso em que o carrossel andou mais depressa do que o Nacional conseguiu aguentar. Ainda assim, na viragem do campeonato a equipa estava relativamente tranquila, cinco pontos acima da zona proibida, e com uma série de quatro vitórias em seis jogos (jornadas 10 a 15) ainda fresca na memória. A segunda volta, contudo, traria apenas mais nove pontos...

SLBNAC.jpg

À 21.ª jornada o Nacional reactivou uma estatística perdida no mofo de profundos arquivos, ao tornar-se na primeira equipa desde 1964/65 a sofrer dez golos num só jogo de campeonato. Essa derrota por 10-0 na deslocação à Luz deixou uma marca inicial que o Nacional tratou com uma goleada sobre o Feirense (4-0, hat-trick de Rashidov); as cicatrizes ficaram para mais tarde. Nas doze jornadas que restavam até final, os insulares só por mais uma vez terminariam um jogo sem sofrer e somariam apenas mais cinco pontos. A recta final foi penosa, com o Nacional a sofrer 13 golos nos últimos quatro encontros, que incluíram uma derrota em Chaves (4-1, jornada 31) que deixou a equipa a precisar de recuperar cinco pontos em nove possíveis. Uma tarefa que se revelou impossível. O avançado Róchez (10 golos no campeonato) foi o motor do ataque, mas esteve desacompanhado.

VILNAC.jpgComo se não bastasse aquela goleada, o Nacional foi também vítima do episódio de tomba-gigantes desta edição da Taça de Portugal, ao ser eliminado pelo Lusitano de Vildemoinhos, do Campeonato de Portugal, num jogo louco (4-3 após prolongamento, com 2-2 nos 90 minutos). O Nacional esteve por três vezes na frente do marcador.

 

TREINADOR

NAC - Costinha.jpgSe não fosse a defesa pública feita pelo seu plantel nos dias seguintes ao jogo da Luz, talvez Costinha, que se sagrou campeão da II Liga com este Nacional em 2017/18, não tivesse resistido até final da temporada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 12:30

Sábado, 01.06.19

GD CHAVES 2018/19

CHA - golo.jpg

Depois de uma época em que o sexto lugar deixou os valentes transmontanos a sonhar com um regresso à Europa, o Desportivo de Chaves sucumbiu a um síndrome de terceiro ano. Constantemente no fundo da tabela - 26 jornadas na zona de despromoção -, o Chaves foi fazendo das tripas coração para fugir à bandeira negra. A equipa nunca esteve demasiado longe da salvação, mas a direcção entrou em pânico com a série de onze jogos sem ganhar (a terceira maior da época, jornadas 6 a 16) e desatou a brandir o chicote. Essa inconstância no comando técnico talvez não tenha sido benéfica para a causa flaviense. Nota de curiosidade: o Chaves foi orientado por três dos quatro técnicos que estiveram em mais que um clube neste campeonato.

 

TREINADORES

CHA - Daniel Ramos.jpgRecém-chegado do Marítimo, Daniel Ramos iniciou a temporada e manteve-se no comando até à 12.ª jornada, altura em que o Chaves era último e estava preso a uma série de oito derrotas consecutivas, a maior da época (jornadas 7 a 14).

CHA - Tiago Fernandes.jpgTiago Fernandes, que semanas antes tinha orientado o Sporting interinamente, pegava na equipa durante treze jornadas, que renderam 14 pontos.

CHA - José Mota.jpgCom a chegada de José Mota (jornada 26) o Chaves somou 11 dos 21 pontos possíveis até à jornada 32, mas as subsequentes derrotas com Setúbal (1-2) e Tondela (5-2), emblemas tão aflitos quanto o próprio Chaves, significaram a descida à II Liga, que o técnico assumiu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 12:00

Sexta-feira, 31.05.19

CD TONDELA 2018/19

TON - golo.jpg

O Houdini do campeonato português desta vez viveu uma luta pela manutenção mais convencional. Ou seja, sem as longas séries negativas - excepção feita a 15 jogos consecutivos a sofrer - e os tempos intermináveis de lanterna vermelha na mão. Mesmo não tendo sido último classificado neste campeonato, o Tondela passou onze jornadas nos lugares que não interessam e não conseguiu mais que seis pontos de vantagem sobre a linha de água (à jornada 16). A permanência só seria selada, como não podia deixar de ser, na última jornada. E com um daqueles jogos que não acontecem muitas vezes.

TONCHA.jpgChegados à derradeira jornada, faltava saber quem era o último despromovido à II Liga. Ou Tondela, ou Chaves. E o caprichoso calendário, taxativo, decretava precisamente um Tondela-Chaves! Tecnicamente, uma final. Ícaro abriria o marcador logo aos 4 minutos, e antes da meia hora o Tondela já vencia por 4-0. O Chaves reduziu a diferença para metade ainda antes do intervalo, mas seriam os da casa a fixar o 5-2 final, pelo venezuelano Murillo (78').

 

TREINADOR

TON - Pepa.jpg

Pepa completou duas épocas e meia ao comando dos beirões, e esteve à altura das exigências em cada momento.

 

FIGURA

TON - Tomané.jpgTomané (à esquerda) marcou doze golos no campeonato.

 

GALO
Na Taça de Portugal o Tondela foi eliminado pelo Leixões pela terceira época consecutiva.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 13:00

Sexta-feira, 31.05.19

CD AVES 2018/19

AVE - golo.jpg

Tendo conseguido em 2017/18 a sua primeira manutenção no escalão máximo, à quarta tentativa, o Desportivo das Aves ainda lhe acrescentou nada menos que a Taça de Portugal, fazendo deste um potencial ano de ressaca. Entretido com uma defesa desse título até aos quartos-de-final - ultrapassando Sacavenense (1-3), Cova da Piedade (0-3 ap) e Chaves (2-0), antes de cair com o Braga (1-2) -, o Aves só entrou realmente em prova no campeonato na segunda volta.

AVE - José Mota.jpgDurante a primeira volta, com José Mota no comando, o Aves somou apenas 12 pontos, dobrando o campeonato como lanterna vermelha. O técnico saiu após essa eliminação na Taça, mas voltaria ao campeonato jornadas mais tarde.

AVE - Augusto Inácio.jpgA segunda metade da Liga, a cargo de Augusto Inácio, rendeu o dobro dos pontos da primeira volta, mas foi preciso agradecer à matemática por proporcionar a manutenção na antepenúltima jornada. É que o Aves perdeu os últimos três jogos, o último dos quais frente a um Feirense que não ganhava desde a jornada 2. Imagine-se o que seria se os pontos ainda estivessem a fazer falta...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 12:30

Sexta-feira, 31.05.19

VITÓRIA FC 2018/19

SET - golo.jpg

O Vitória de Setúbal é talvez o maior caso de estudo do futebol português. Época atrás de época, quando tudo parece indicar que é desta que a despromoção vai acontecer, eis que o emblema sadino escapa, quer graças a uma recuperação de última hora, quer porque algum outro clube envolvido na mesma luta se desmorona. Em 2018/19, porém, é tudo menos fácil explicar as razões que levaram o Vitória a mais uma permanência. Nem houve qualquer equipa em queda livre na ponta final, nem houve notória recuperação do próprio Setúbal após uma longa série de 15 partidas sem saborear o triunfo (jornadas 12 a 26). Além disso, o Bonfim foi o estádio que menos golos viu (31) e os jogos do Vitória foram os que menos golos tiveram (67). Só 28 desses golos foram dos sadinos; a oitava vez nas últimas 15 temporadas em que não atingem a barreira dos 30 golos. Foi, pois, mais uma época da endémica aflição que o Vitória de Setúbal tem vivido. Um dado estatístico, no entanto, não deixa de saltar à vista: a equipa nunca desceu à zona de despromoção em todo o campeonato.

 

TREINADOR

SET - Lito Vidigal.jpgLito Vidigal saiu após a primeira jornada da segunda volta.

SET - Sandro Mendes.jpgSandro Mendes, antigo jogador do clube, tomou conta da equipa de forma interina, mas ficaria até final da temporada.

 

FIGURA

SET - Cádiz (golo).jpgCádiz (à esquerda) foi o melhor marcador da equipa no campeonato, com nove golos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 12:00

Quinta-feira, 30.05.19

PORTIMONENSE SC 2018/19

POR - golo.jpg

Se houvesse prémio para a equipa mais entusiasmante da Liga, esse galardão ficaria bem entregue ao Portimonense. O futebol positivo exibido pelos algarvios resultou, desde logo, numa profusão de golos, tanto marcados, como sofridos. De resto, o Portimonense concluiu o trajecto no campeonato com o sexto melhor ataque e a terceira pior defesa. Além disso, o Municipal de Portimão foi o terceiro estádio onde se viram mais golos (53) neste campeonato. Só na Luz (80) e nos Arcos (54) se festejou mais. Um pouco à semelhança do Vitória de Guimarães, o Portimonense somou o grosso dos seus 39 pontos em casa. Longe do Algarve o seu percurso, olhando apenas aos resultados obtidos, foi medíocre; apenas três triunfos (Nacional, Feirense e Boavista) e dois empates (Belenenses e Setúbal) nos 17 jogos. Com o Portimonense como visitado a história foi outra, contando-se escassas cinco derrotas. Dos nomes que saíram de Portimão com os três pontos não constam Sporting nem Benfica, vergados por 4-2 e 2-0, respectivamente. O Portimonense dobraria o campeonato no oitavo lugar e esses rendimentos acabaram por ser importantíssimos para que a equipa resistisse a uma segunda volta durante a qual venceria apenas quatro partidas. Chega a ser incrível como o clube nunca caiu para a zona perigosa, nem sequer para perto dela.

 

TREINADOR

POR - António Folha.jpgAntónio Folha foi o obreiro do bom entretenimento proporcionado pelo Portimonense neste campeonato.

 

FIGURAS

POR - Jackson Martínez.jpgMesmo limitado por problemas físicos, Jackson Martínez liderou a equipa com nove golos na Liga.

POR - Nakajima.jpgNakajima voltou a estar em foco. Saiu do clube em Janeiro, com destino ao Al-Duhail, do Catar. Por 35 milhões de euros.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 13:00



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2019

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031