Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO

Todas as fotografias neste blog encontram-se algures em desporto.sapo.pt, salvo indicação em contrário


Segunda-feira, 21.04.14

FC Porto 3-0 Rio Ave FC – De dúvida em dúvida até à certeza final

sapodesporto

Terminaram as dúvidas sobre quem ficará com o terceiro lugar da Liga. Com esta vitória é definitivo que o FC Porto jogará o play-off de acesso à Liga dos Campeões em Agosto próximo.

Os estados de espírito de FC Porto e Rio Ave eram diferentes após a jornada de Taça, mas tal não se transpôs para o evoluir deste jogo. Os homens de Vila do Conde, com a manutenção na mão, estão de olhos postos nas duas finais que têm no horizonte, enquanto o FC Porto inicia agora o lamber de feridas de uma época muito abaixo do habitual.

Apesar dos números do resultado, durou cerca de uma hora a dúvida sobre quantos pontos o FC Porto levaria deste jogo. Se o Rio Ave não pareceu capaz de chegar à vitória, os dragões praticamente não conseguiram ligar o motor, e quando o faziam o futebol era pouco mais que inconsequente.

No rescaldo do jogo é impossível não olhar para Quintero e dizer que foi ele – mesmo sem ter marcado – o responsável pela vitória, por ter participado nas jogadas dos golos, mas foi preciso um empurrão, neste caso do central vila-condense Marcelo, para o FC Porto chegar ao golo, numa grande penalidade forçada q.b., transformada por Jackson, que terá fechado a cadeado o topo da lista de marcadores.

Foi como se o golo limpasse a consciência da equipa, que acabaria por fazer mais dois golos, por Herrera e Danilo, cujo livre pessimamente cobrado ressaltou na barreira e traiu o guarda-redes Ederson.

As dúvidas, essas, permanecem quanto a Quintero, apesar deste jogo. Ainda não foi possível perceber se o colombiano, que partira para a época rotulado de promessa, é sobrevalorizado, ou se o seu esplendor só virá realmente ao de cima com um colectivo melhor à sua volta – uma questão que só o futuro responderá.

Olhando para o passado, não podia haver um maior contraste com o presente. Após a 28.ª jornada de 2012/13 estava tudo por decidir na Liga: título, Champions, Liga Europa e manutenção. Um ano depois, apenas a manutenção continua em aberto.

A próxima jornada reserva um escaldante Arouca-Gil Vicente – quem vencer garante a permanência – e poderá selar a despromoção do Olhanense, que recebe justamente o FC Porto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:55

Segunda-feira, 24.02.14

Rio Ave 1 - Sporting 2 - Meu querido plano B

O Rio Ave cometeu a proeza de ganhar 3 vezes ao Sporting na época passada e fez por continuar a saga dos bons resultados, depois de ter empatado em Alvalade na primeira volta. Durante a primeira parte tapou bem os caminhos à sua baliza e dispôs da melhor ocasião de golo do primeiro tempo. Felizmente o Sporting mudou de atitude na segunda parte, mas curiosamente até começou por sofrer um golo: após uma perda de bola de Jefferson, Diego Lopes arrancou para a área e Maurício, num corte infeliz atira a bola para dentro da própria baliza. Nesta altura muitos adeptos terão bradado aos céus pela inclusão do brasileiro na equipa, dias depois de ter sido mandado parar pela brigada de transito com uma taxa de alcoolemia acima do permitido... mas a verdade é que nisto dos autogolos, no melhor pano cai a nódoa. Tendo montado a equipa no esquema habitual, desta vez Leonardo Jardim foi mais rápido a mexer, e tirou André Martins mais cedo que o costume. Consequentemente, os resultados apareceram rapidamente: Slimani ganha nas alturas duas vezes e marca um golo, Mané (também saído do banco) responde da melhor maneira a um cruzamento de Carrillo (também saído do banco) e coloca o Sporting em vantagem. Pelo meio ficou o mau futebol jogado num terreno em mau estado, os dois amarelos cirúrgicos a Adrien e Montero e o forte apoio que a equipa teve em Vila do Conde vindo da bancada nascente.

 

Destaque para Slimani (mais uma vez decisivo), Mané (em vias de se tornar um grande jogador), Dier (muito seguro), Cédric & Jefferson (grande esforço de ambos - Jefferson redimiu-se do erro que deu o golo ao Rio Ave, ao assistir Slimani no primeiro do Sporting).

 

Este Sporting está longe de ser a máquina trituradora que todos os sportinguistas gostariam, mas devagar se vai ao longe. Apesar de todas as limitações que esta equipa tem, cada um tem dado o que tem, e o querer e a vontade desta equipa têm vindo ao de cima, mesmo depois dos piores momentos da temporada. Em virtude da época mais tremida dos adversários directos, o Sporting tem-se mantido nos lugares da frente, e como disse Leonardo Jardim, isso também faz parte do processo de aprendizagem desta equipa, cuja maior parte dos jogadores nunca antes fez uma época com a pressão permanente para ganhar todos os jogos. Apesar de tudo, está a ser bom ver esta equipa a crescer, independentemente da classificação que venha a ser alcançada no final da época. 

Segue-se o Braga, uma equipa que acabou de ficar sem treinador. Curiosamente, as equipas grandes têm tido mais dificuldades em casa do que fora... espero que Leonardo Jardim pense bem nesta questão durante a semana...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 15:37

Segunda-feira, 16.12.13

Rio Ave FC 1-3 FC Porto - Todos aos seus lugares

Por enquanto, a vitória contra o Braga não terá sido só um paliativo. E este triunfo em Vila do Conde, terá sido um paliativo para a derrota de Madrid?

O FC Porto não deslumbrou, longe disso, mas pode ter semeado algo melhor para o futuro mais próximo. Quiçá pela primeira vez – a meio de Dezembro, pasme-se – o FC Porto alinhou com todos os jogadores nas suas posições habituais. E o resultado foi um jogo em que os dragões controlaram, com o resultado a sobrepor-se à exibição.

Pela primeira vez titular no campeonato, Carlos Eduardo voltou a deixar indicações de ser opção mais que válida para o equilíbrio do meio-campo, uma vez que retira alguma da carga física a que Lucho estava obrigado para interligar os sectores, ao mesmo tempo que consegue servir os jogadores mais avançados com precisão. A acompanhar nos jogos seguintes.

Por enquanto, ainda não se pôde pedir à equipa o futebol mais expansivo que se viu em alguns dos primeiros jogos. A marca de todos os tiros no pé que os azuis-e-brancos têm dado esta época ainda está presente. Valeu o dinamismo de Varela, muito solícito nos flancos, procurando a linha para o cruzamento e conseguindo mesmo assistir Jackson para o 1-2, e o oportunismo dos defesas Maicon e Danilo, que deram o melhor seguimento a lances de bola parada.

O Rio Ave ainda logrou empatar, aproveitando da melhor forma uma bola perdida a meio-campo pelo FC Porto. A fazer lembrar o golo sofrido com o Austria, Edimar teve “via verde” até à entrada da área portista, onde tabelou com Diego Lopes para ficar solto na cara de Helton. Foi um dos dois lances de perigo dos vilacondenses, que assim se mantêm com apenas três pontos obtidos nos sete jogos caseiros já disputados.

O FC Porto mantém-se dois pontos atrás do líder Sporting, e recebe o aflito Olhanense no próximo fim-de-semana. Na época passada houve um inesperado empate neste encontro, pelo que os dragões não podem baixar a guarda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 12:16

Segunda-feira, 23.09.13

Sporting 1 - Rio Ave 1 - O primeiro resultado negativo da época

... e foi o primeiro resultado negativo da época, não necessariamente devido ao resultado (empate) mas sobretudo devido ao rendimento da equipa. Ao contrário das equipas rivais, o Sporting ainda está um pouco longe do patamar em que consegue ganhar mesmo jogando mal e, assim sendo, não tendo jogado bem, o Sporting não conseguiu ganhar desta vez. É certo que o Rio Ave teve também mérito neste resultado: pressionou bem, tapou bem os construtores de jogo do Sporting e apresentou uma boa atitude e entrega. Pelo contrário, o Sporting, após se apanhar em vantagem (através de um lance, no mínimo, estranho) baixou o ritmo (que já por si era baixo...), passou para o modo super-poupança de esforço e foi sem surpresa que não conseguiu segurar a vantagem até ao final. Apesar da euforia do inicio de época (normal, dado o terror da temporada passada), mesmo tendo um calendário menos preenchido, a equipa do Sporting ainda está longe da consistência que o treinador e dirigentes pretendem. Há jogadores que anda mantém a irregularidade da época passada (Carrillo), outros que estão no processo de aprendizagem (Dier, William) e infelizmente não há milagres que mudem tudo repentinamente. 

 

Destaco a exibição do Wilson Eduardo (um excelente golo, numa situação em que falharia 9 em 10 tentativas!), do Jefferson (ainda a manter uma regularidade agradável) e Montero (quase marcava na única oportunidade digna desse nome). 

 

É certo que Montero deixou de marcar (algum da teria de ser), e o rendimento da equipa baixou para níveis preocupantes sem que nada o fizesse esperar, mas espero que a tendência seja para melhorar, aumentando a consistência aos poucos. Interrogo-me se Slimani não deverá ter a oportunidade de jogar mais minutos contra este tipo de equipas e se André Martins conseguirá impor o seu futebol contra equipas fisicamente mais agressivas (Vítor está à espreita). Segue-se o Braga, que nos fez o favor de levar o Prof. Jesualdo para o Minho, num jogo que será tão ou mais difícil quanto este. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 16:43



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2021

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28