Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO



Quarta-feira, 03.10.18

Liga dos Campeões, fase de grupos - FC Porto 1-0 Galatasaray AS - Padrão

FCPGAL.jpg

Os últimos jogos do FC Porto têm correspondido a um padrão de resultados melhores que as exibições, e este não foi excepção. Com um FC Porto e oscilar entre o lento e o acomodado, o resultado foi um jogo que não fez jus à aura de bom futebol que emana da Liga dos Campeões. Ainda assim, houve algumas oportunidades de golo, quase todas criadas pelos turcos, pese embora estes se mostrassem confortáveis com o empate praticamente desde o início do encontro. O primeiro momento de algum perigo apareceu em cima do quarto de hora, quando um cruzamento de Onyekuru apanhou Gümüs sozinho em frente à baliza; o remate do avançado do Gala foi repelido in extremis pelas costas de Maxi Pereira. Casillas já não lhe chegaria. Os dragões responderam num remate de Brahimi à queima-roupa, após bom trabalho de Corona na direita (26'). Muslera foi gigante ao deter a finalização do argelino. Ambos os guarda-redes foram, de resto, decisivos para que o golo fosse presença solitária nesta partida. O autor do feito foi Marega (49'), que aproveitou uma grave falha defensiva para emendar, sozinho na pequena área, um canto de Alex Telles. Nem por isso o Galatasaray entrou em loucuras, mas não deixou de criar outros momentos de algum aperto. Antes (38'), já o lateral esquerdo Nagatomo se tinha soltado após tabelinha com um colega mas esbarrou em Casillas, cuja mancha, noutro momento, obrigou Donk a rematar à malha lateral quando estava em posição prometedora.
O FC Porto voltou a utilizar um onze retirado da época passada exceptuando Militão, com a complicação extra o ponta-de-lança habitual, Aboubakar, estar - e assim continuará - indisponível, mas terá faltado quem assumisse o jogo em nome do colectivo, uma vez que Corona e Otávio nem sempre encontraram saídas para os caminhos em que se metiam, Brahimi trouxe a sua versão mais individualista e Marega não está na mesma forma da época passada. Marcar foi, portanto, praticamente uma dádiva dos céus. Nos minutos finais os campeões turcos ensaiaram uma tímida busca pelo empate, que fez a sua manta destapar os pés e permitir a Marega (84') e a André Pereira (90'), que tinha entrado para o lugar de Otávio, surgirem isolados à porta do golo; em ambos os casos foi Muslera a dizer presente.
Talvez um empate fosse mais justo, mas assim não foi. Ao cabo de dois jogos o FC Porto lidera o grupo em igualdade total com o Schalke 04. Aguardam-se desenvolvimentos nos próximos capítulos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:50




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2018

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031