Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO

Todas as fotografias neste blog encontram-se algures em desporto.sapo.pt, salvo indicação em contrário



Sábado, 15.08.15

Liga NOS, 1.ª jornada – FC Porto 3-0 Vitória SC – Calçar os sapatos

Nos últimos vinte anos o FC Porto tem sido exímio na reposição dos níveis da sua fonte de golos, principalmente quando alguns arriscam pensar em seca. Começando em Domingos e passando por Jardel, McCarthy, Lisandro López e Falcao até chegar a Jackson Martínez, todos partiram deixando sapatos mais ou menos pesados para o seguinte calçar.

A pré-época até levantou algumas questões no departamento ofensivo, mas quando a bola rolou a sério bastaram oito minutos para que não houvesse nem questões, nem lembranças. Ainda que com a ajuda de um ressalto em João Afonso, Vincent Aboubakar marcava aquele que talvez seja, até agora, o seu mais saboroso golo pelo FC Porto. Confirmando as indicações positivas que foi deixando ao longo da época passada, o camaronês calçou sem problemas os sapatos de Jackson. E não se ficou por aí, já que aos 61 minutos bisou mesmo, num forte remate na passada, de longe, semelhante àquele que lhe dera um golo frente ao Shakhtar em Dezembro de 2014.

Com a sucessão aparentemente em bons pés, ninguém teve tempo para se lembrar do passado, nem de que o FC Porto mudou grande parte da equipa titular de 2014/15. Com cinco caras novas em campo, os dragões foram assertivos, gerindo e pressionando conforme o jogo o proporcionava. É verdade que o Vitória está a começar a temporada de pé esquerdo e não colocou problemas de maior, mas nem por isso o FC Porto cedeu à tentação de cair num futebol pastoso e desinteressado.

Talvez seja a motivação do novo arranque. Todos quiseram mostrar alguma coisa. Varela trabalhou bem na direita para de ângulo apertado fazer o 3-0 (84’), Danilo Pereira e Imbula deram consistência ao meio-campo, Tello agarrou bem a oportunidade que lhe foi fugindo durante os jogos de preparação e Maxi Pereira participou em dois golos. A fava calhou a Herrera. O mexicano certamente não estava nos seus dias, e destoou do resto da equipa, perdendo mesmo uma ocasião clara já perto do intervalo, ao chegar uma fracção de segundo atrasado ao excelente passe de ruptura de Aboubakar.

Após o intervalo o Vitória apareceu mais espevitado, mas bastou um lance de perigo (53’) para que o FC Porto tomasse novamente conta das operações. O guarda-redes vitoriano Douglas não segurou um cruzamento de Varela, Tello estava no lugar certo e teve nos pés o golo, mas rematou com força quando seria mais avisado colocar. A bola bateu em cheio em João Afonso, sobrando para Imbula, que teve pontaria a mais e tirou tinta ao poste esquerdo.

Foi, acima de tudo, uma noite tranquila no Dragão, que esteve perto de encher. Não terá sido só por ser Agosto e estarem cá os emigrantes. Terá funcionado a crença de que esta equipa é uma laranja com bastante sumo. O primeiro gomo assim o indica. O próximo porá à prova outras crenças, tradições e agoiros. É a temida visita aos Barreiros, a primeira de três idas à pérola do Atlântico durante a primeira volta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:55




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2015

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031