Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO



Sábado, 10.11.18

Liga NOS, 10.ª jornada - FC Porto 1-0 SC Braga - Única justiça

FCPSCB.jpg

Não é frequente haver na Liga portuguesa jogos que coloquem frente a frente primeiro e segundo classificados com hipótese de um ultrapassar o outro. Quando tal acontece, normalmente trata-se de um clássico já bem dentro da segunda volta. À 10.ª jornada é muito, muito raro. Ainda mais quando um dos intervenientes não é um dos ditos três grandes. Mas era esse, de facto, o cenário para o presente jogo. FC Porto e Sporting de Braga chegavam aqui igualados nos 21 pontos, o que permitia todas as conjecturas. No campo, não se podia pedir mais equilíbrio. As equipas equivaleram-se palmo a palmo, lance a lance, mas acabou por não ser um daqueles jogos com tanta acção que se torna impossível assistir refastelado na cadeira. Talvez por terem faltado os golos. Entre as oportunidades mais claras destacam-se os remates de Esgaio ao poste (55') e de Fransérgio à trave (77'); no segundo caso o Dragão assustou-se a sério, pois o golo estava ali à espera de ser feito. Ao longo de todo o jogo houve lugar também a defesas mais apertadas tanto de Casillas como de Tiago Sá, a um cabeceamento de Dyego Sousa que só por acaso não deu em golo (25') e, claro está, ao momento do jogo (88'), surgido quando muitos decerto já pensavam ir para casa sem ter visto golos. A jogada nasce de um lançamento lateral de Corona na direita, que solicita Hernâni para um primeiro corte da defensiva minhota; a bola volta à direita, de onde Otávio levanta um cruzamento teleguiado para a cabeça de Soares, que se elevou e empurrou para o tento solitário. De resto, e voltando ao que foi escrito acima, o equilíbrio foi total.
Sem autocarros e sem enervantes perdas de tempo, o Braga jogou olhos nos olhos com o FC Porto e pese embora tenha estado perto, não encontrou solução para o seu problema recorrente dos últimos anos: como bater mais vezes os grandes no campeonato e manter-se na discussão pelo título até tarde? A época passada exemplifica bem o que atrás se escreve. Dos 12 pontos possíveis de somar frente a FC Porto e Benfica, o Braga não averbou nenhum e terminou a 13 pontos do primeiro posto. Bastava - entre aspas - ter ganhado os dois jogos aos dragões e empatado um dos que perdeu para que o título tivesse ido para a Cidade dos Arcebispos em vez da Invicta.
Mas isso foi na temporada passada. Nesta, o Braga espera agora entrar numa perseguição de 24 jogos. O FC Porto fica sozinho na liderança. O resultado mais justo era o empate, mas no futebol, nunca é demais repetir, a única justiça que existe é a dos golos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:45




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930