Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO

Todas as fotografias neste blog encontram-se algures em desporto.sapo.pt, salvo indicação em contrário



Domingo, 17.05.15

Liga NOS, 33.ª jornada – CF Os Belenenses 1-1 FC Porto – Passear à beira-Tejo

Antes de quaisquer outras considerações, este foi o pior jogo do FC Porto esta época. Sem margem para dúvidas. Não houve espírito de equipa, nem de missão, quanto mais de superação. A igualdade no Restelo condenou o FC Porto a mais uma temporada indigesta, já que significou a entrega do título ao Benfica, que mesmo empatando em Guimarães partiu para uma noite interminável de festejos.

Tal como em outros momentos desta época o FC Porto não tem ninguém a quem endereçar culpas pela perda de pontos. Esse desperdício é resultado directo da falta de tudo aquilo que faz a força do FC Porto em momentos como este. A face mais visível dessa ausência foi o futebol desconexo que os dragões exibiram à beira-Tejo. Pareceu mesmo um passeio de uma equipa já sem objectivos competitivos.

Daí que seja tão incrível quanto paradoxal que o FC Porto tenha criado diversas oportunidades de golo durante a primeira parte. O Belenenses, de resto, também as criou, com algumas, bastante claras, a surgirem ainda antes de os azuis-e-brancos terem ameaçado as redes contrárias. Com mais acerto poderia ter-se verificado um 2-2 ao intervalo, contudo o marcador assinalaria 0-1, fruto de um cabeceamento certeiro de Jackson Martínez a segundos do apito para o descanso.

Necessitado de pontos para manter viva a esperança de um lugar europeu na próxima época, o Belenenses redobrou esforços na segunda parte e foi aí que a instabilidade portista mais veio ao de cima. Não conseguindo – ou não querendo – matar o jogo, o FC Porto procurou geri-lo com bola, atrasando repetidamente a Helton para recomeçar a transição ofensiva, que invariavelmente esbarrava na forte pressão dos azuis do Restelo.

Os passes falhados eram cada vez mais frequentes e as jogadas sem conclusão sucediam-se, à medida que a bola ia queimando com mais intensidade nos pés dos jogadores portistas. O Belenenses veria a sua garra premiada já dentro dos últimos dez minutos, quando Tiago Caeiro igualou a contenda, lançando o FC Porto rumo ao abismo. Ainda haveria lugar a um canto do cisne, nos descontos, num cabeceamento de Jackson na pequena área. O ponta-de-lança errou o alvo por pouco.

Tirando os óculos azuis, o empate final é justo tendo em conta as incidências da partida. Por outro lado, e com os óculos azuis postos, é imperdoável a forma como o FC Porto deixou escapar as possibilidades que ainda tinha de ultrapassar o Benfica. É mais que evidente a falta de crença, de querer, de identificação com a causa portista. Só há uma nota positiva a retirar deste jogo: foi a última vez que os dragões envergaram a camisola cor-de-rosa. Finalmente.

Para o FC Porto a época 2014/15 termina na próxima semana com uma recepção ao já despromovido Penafiel. Decerto que os adeptos que se deslocarem ao estádio não deixarão de dar a entender aquilo que sentem quer à equipa, quer à estrutura do futebol portista.

 

NOTA: infelizmente não é possível ilustrar este texto com um momento do jogo porque a área de fotografias do Sapo, no momento em que publico, não disponibiliza nenhuma.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:30




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2015

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31