Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CORTE LIMPO

Todas as fotografias neste blog encontram-se algures em desporto.sapo.pt, salvo indicação em contrário



Segunda-feira, 20.07.20

Liga NOS, 33.ª jornada - FC Porto 6-1 Moreirense FC - Entrega dos Óscares

FCPMOR.jpg

Consumada matematicamente a conquista do título na jornada anterior, o derradeiro encontro do FC Porto no Dragão em 2019/20 tornava-se no proverbial jogo de consagração. E não foi um jogo de consagração qualquer, já que houve espaço para um pouco de tudo. Até para o próprio Moreirense discutir o resultado durante os primeiros 45 minutos, com Fábio Abreu a coroar a sua época com o seu 13.º golo no campeonato (20'), num belo cabeceamento. Antes, Luis Díaz tinha aberto o marcador (4'), também de cabeça, sem oposição, a cruzamento de Alex Telles. A segunda parte foi outro filme. Aliás, todo o jogo pareceu uma entrega dos Óscares da temporada, já que foi como se todos os principais nomes tivessem direito a prémio - incluindo o já mencionado Fábio Abreu, pelos cónegos. Logo ao minuto 51, Otávio desempatou o marcador, num lance em que precisou de três tentativas, todas na pequena área, até bater a defesa do Moreirense. Seguiram-se uma grande penalidade de Alex Telles (56') - a oitava convertida pelo lateral brasileiro, para um total de onze golos na Liga - e, imagine-se, um livre directo de Marega (62'). Isso mesmo, um livre de Marega, que assim se tornou no melhor marcador portista no campeonato, com doze golos. O maliano logo cedeu o lugar a Soares (64'), que retribuiu com um bis (78' e 87'). O primeiro desses golos foi uma homenagem ao tiki taka, prestada por Uribe, Otávio e Luis Díaz. Tudo ao primeiro toque, com um calcanhar incluído; Soares só teve que encostar. O último golo da noite também foi só de encostar para Soares, mas a jogada, entre os mesmos Otávio e Luis Díaz foi igualmente bonita, embora não tão elaborada. A robustez do resultado permitiu a Sérgio Conceição estrear o guarda-redes Mbaye, que disputou os últimos quinze minutos. Talvez o Moreirense não contasse com uma segunda metade de prego a fundo por parte dos dragões, mas, na verdade, os cónegos não fizeram nada de errado em campo. O FC Porto é que primou por não deixar os seus créditos por mãos alheias, certamente deixando também muitos portistas a pensar porque é que não houve mais exibições deste nível ao longo da época. E no final ergueu-se o caneco da Liga NOS, para gáudio do estádio vazio. Foi mesmo como a entrega dos Óscares. Normalmente só se vê pela televisão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:59


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2020

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031