Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO

Todas as fotografias neste blog encontram-se algures em desporto.sapo.pt, salvo indicação em contrário



Domingo, 04.10.15

Liga NOS, 7.ª jornada – FC Porto 4-0 CF Os Belenenses – Filme repetido

Desde que o Belenenses regressou à I Liga, em 2013, que a sua visita ao Dragão não tem passado de uma formalidade. A última vitória dos azuis foi ainda no Estádio das Antas, em 2001/02, e a reedição desse feito esteve mais uma vez longe de acontecer. Durante a primeira parte o Belenenses dispôs de três livres junto à área do FC Porto e até rematou ao poste noutro lance, por Kuca, e esse seria o único perigo que criaria.

Passando mais tempo com a bola, e sem dar sinais de ansiedade, a equipa do FC Porto construiu várias jogadas junto ao último reduto belenense, mas até ao intervalo o golo não surgiu. Antes que o avançar do relógio se tornasse no pior inimigo, os dragões materializaram o domínio, dando sentido positivo a todo o trabalho que vinham realizando até aí. Corona foi o primeiro a fazer o gosto ao pé (53’), num remate que sofreu um desvio em Gonçalo Brandão – suficiente para que o golo não fosse atribuído ao mexicano –, e logo a seguir (56’) Brahimi apareceu na zona do ponta de lança para um cabeceamento em mergulho, a selar o 2-0.

Nesta altura, e por via da lesão de Maicon nos segundos finais do primeiro parcial, o FC Porto jogava tal como fez em Moreira de Cónegos: três defesas apenas, com Danilo Pereira, que substituiu o central, a fazer a compensação junto a Marcano quando necessário. O esquema hoje funcionou sem problemas.

Entrados no segundo tempo, Tello e Osvaldo foram os protagonistas do 3-0 (80’), com o primeiro a trabalhar bem na direita e cruzar para um ligeiro desvio do italo-argentino, que assim se estreou a marcar pelo FC Porto. Aos 87 minutos, na cobrança de um canto, Marcano cabeceou junto à pequena área, esquecido pelos defensores do Belenenses.

O FC Porto, mais uma vez, pareceu ser uma equipa que sabe o que fazer em campo, com Brahimi, Corona e Ruben Neves em destaque. Após a saída de Maicon a braçadeira de capitão passou mesmo para o braço deste último. Que bom voltar a ver o FC Porto capitaneado por um homem da casa!

Foi no fundo, um filme repetido do FC Porto-Belenenses da época passada. Conforme escrevi na altura, foi uma consulta de rotina no Estádio do Dragão, e é difícil escapar novamente a essa ideia. Num final de tarde cinzento e ventoso, a vitória tornou-se muito importante para o FC Porto, na sequência de um adiamento no União-Benfica, devido ao nevoeiro. Não tendo jogado, os encarnados vêem-se provisoriamente a cinco pontos de distância dos dragões. Vale o que vale, mas não deixa de ser uma vantagem psicológica que o FC Porto poderá explorar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 22:00




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031