Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO



Segunda-feira, 14.07.14

Mundial 2014 - Final - 13 Julho

sapodesporto

Estádio Maracanã, Rio de Janeiro

ALEMANHA       1 (Götze 113’)

ARGENTINA      0

Após prolongamento

A final do Brasil 2014 foi um anticlímax. Depois de um mundial de grandes jogos, o peso do que estava em jogo motivou que os finalistas não abordassem de forma demasiado expansiva o encontro que abre as portas do Olimpo do futebol.

Muita organização de parte a parte, Messi neutralizado e guarda-redes seguros caracterizaram a final, pelo que não foi surpreendente a chegada do prolongamento, apesar de a Argentina ter criado as melhores oportunidades de golo nos 90 minutos.

No tempo extra a Argentina quis manter a organização e levar tudo para as grandes penalidades, mas a frescura física já não era a mesma – era o terceiro prolongamento que a albiceleste disputava na fase final, contra dois dos alemães.

A Alemanha acabaria por criar um desequilíbrio que deixou Mario Götze cara a cara com o guarda-redes Romero, no lado direito da defesa argentina. Com a técnica apurada, Götze dominou de peito, em corrida, e sem deixar a bola cair rematou de primeira, de pé esquerdo, cruzado, mesmo não tendo o mais favorável dos ângulos. A bola entrou.

Com pouco tempo para jogar, a Argentina ainda tentou mas não conseguiu encontrar forças para responder ao golpe que sofrera.

O golo garante a Götze o seu lugar na História. A Alemanha sagra-se tetracampeã mundial e entra ela própria na História, como a primeira selecção europeia a vencer um mundial disputado nas Américas.

Mas o jogo poderia ter pendido para o lado da Argentina. Não apenas pelas oportunidades de golo, mas também por dois lances que em última instância deixariam a Alemanha com menos unidades: primeiro Höwedes entrou de sola ao joelho de Zabaleta, e mais tarde Neuer imitou o célebre lance de Toni Schumacher em 1982, entrando de joelho ao pescoço de Higuaín numa saída dos postes para cortar uma bola metida no ataque argentino.

O árbitro assim não entendeu, e a Alemanha acaba por vencer o Mundial 2014 justamente, com seis vitórias e um empate, 18-4 em golos, e sem estrelas – antes com uma equipa a funcionar na perfeição.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 12:00




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2014

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031