Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CORTE LIMPO

Todas as fotografias neste blog encontram-se algures em desporto.sapo.pt, salvo indicação em contrário



Quarta-feira, 10.02.21

Taça de Portugal, meias-finais, 1.ª mão - SC Braga 1-1 FC Porto - Nervos em franja

BRAFCP TP.jpg

Se as incidências do encontro anterior deixaram o FC Porto com os nervos em franja, que dizer da reedição, três dias mais tarde, agora a contar para a Taça de Portugal? De uma expulsão fizeram-se duas, a arbitragem de critério confuso repetiu-se, e os dragões voltaram a não conseguir segurar o resultado. Desta vez, o FC Porto saltou cedo para o comando (10'), com Taremi a aproveitar uma saída de Matheus para lhe fazer um chapéu. O guarda-redes dos bracarenses quis cortar a bola de cabeça, mas não o fez para o melhor sítio. Talvez tenha estado a ver vídeos de Manuel Neuer. O jogo em si não foi muito diferente do anterior. O Braga foi novamente competente, mas não conseguia chegar ao golo, pelo que se podia dizer que o FC Porto ia controlando os acontecimentos, com maior ou menor dificuldade. O pomo da discórdia surgiu ao minuto 65. Luis Díaz transporta a bola pela esquerda, entra na área e remata. Ao mesmo tempo, o defesa arsenalista David Carmo intrometia-se para cortar, metendo a perna onde Díaz concluía a passada. De forma tão inadvertida quanto inevitável, Díaz calca a perna de Carmo e provoca-lhe uma fractura. Infeliz é a palavra-chave do lance. Após revisão das imagens, o árbitro Luís Godinho entendeu que não havia lugar a quaisquer atenuantes e expulsou o médio do FC Porto. Tendo em conta que não é costume os árbitros darem muitas justificações, o facto de Godinho ter fundamentado a sua decisão tanto a Luis Díaz, como junto de Sérgio Conceição, apenas vem sublinhar o carácter fortuito do lance. Escaldado por incidências que já vinham do penúltimo jogo, o FC Porto pouco se interessou pela justificação e teve dificuldades em acalmar-se. Mais do que na partida do campeonato, aqui os dragões recuaram a sério, na tentativa de levar para a segunda mão esse solitário golo de vantagem. O Braga, mais uma vez, aproveitou a deixa da superioridade numérica para tentar igualar. Face à demorada assistência a David Carmo, houve 12 minutos de compensação. Tempo suficiente para Uribe também ser expulso, na sequência de uma disputa de bola mais acesa com André Horta, que depois o empurra. Ricardo Esgaio juntou-se à festa dando uma peitada em Uribe, que respondeu com um encosto de cabeça. Também aqui o FC Porto ficou com razões de queixa, já que Uribe teve uma punição mais grave que a dos outros intervenientes. Aqui, Luís Godinho já não sentiu necessidade de explicar porque é que entendeu que numa altercação envolvendo elementos das duas equipas - é raro haver um desaguisado entre colegas. Pepe? Loum? -, mostrou cartões de cores diferentes quando os jogadores abusaram em doses iguais. Sobre o final da compensação (90'+12') o Braga conseguiria o golo da igualdade, por Fransérgio, que estava no lugar certo para capitalizar o ressalto de um cabeceamento de Sporar ao poste. Tal como no encontro do campeonato, os guerreiros salvaguardaram o empate nos segundos finais. O FC Porto não se conformou, ao ponto de ter sido o próprio Pinto da Costa a assumir a reacção do clube, na sala de imprensa. Se a memória durar até lá, a segunda mão promete.

BRAFCP A.jpg

A fechar, uma nota para o caricato momento em que a ambulância que transportava David Carmo não conseguia arrancar porque as rodas patinavam na relva molhada. Os jogadores tiveram que ajudar empurrando o veículo, numa imagem que dificilmente voltará a ser vista num estádio perto de si.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:59


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2021

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28