Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO

Todas as fotografias neste blog encontram-se algures em desporto.sapo.pt, salvo indicação em contrário


Domingo, 22.12.19

Taça da Liga, fase de grupos - GD Chaves 2-4 FC Porto

CHAFCP.jpg

Não assisti ao jogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 22:30

Quinta-feira, 19.12.19

Taça de Portugal, oitavos-de-final - FC Porto 1-0 CD Santa Clara - Pague um, leve meio

FCPSC.jpgTecnicamente só houve meio jogo. Numa semana marcada pelo rigor do inverno, a chuvada que caiu nos primeiros minutos da segunda parte deixou o relvado impraticável, tornando essa fase do jogo numa pequena lotaria a meio-campo. E insistir em jogar pelo chão não trazia nada de útil. O FC Porto vencia desde o minuto 29, numa finalização de Nakajima na pequena área, após cruzamento de Corona na direita. Os homens do Santa Clara reclaram falta do mexicano antes de cruzar, mas o juiz nada assinalou. Era, portanto, o primeiro golo do FC Porto marcado por um japonês. Se o mau tempo prejudicou as duas equipas, o Santa Clara teve a contrariedade adicional das lesões. Logo ao minuto 22, Nené foi atingido em cheio na cabeça por uma tentativa de remate acrobático de Zé Luís, numa imagem impressionante. O médio seria mesmo levado ao hospital. Mais tarde (66'), o avançado Schettine sairia com uma lesão muscular, aparentemente. O FC Porto não estava a fazer um jogo de encher o olho, pelo que teria sido interessante ver o que o resto do encontro reservava, mas os tais condicionalismos meteorológicos não deixaram. No tocante ao FC Porto, ainda bem que houve aquele golo. Caso contrário, era bem possível que o jogo tivesse durado até às malfadadas grandes penalidades. Nota ainda para a assistência. Se os 19 mil que assistiram à partida anterior foram corajosos, que dizer dos cerca de 11 mil que hoje estiveram nas bancadas?

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:00

Segunda-feira, 16.12.19

Liga NOS, 14.ª jornada - FC Porto 3-0 CD Tondela - Noventa minutos

Os corajosos que se deslocaram ao Dragão numa fria segunda à noite de Dezembro receberam uma prendinha de Natal, na forma de uma exibição portista mais colorida do que tem sido habitual. Soares adiantou cedo o FC Porto com um cabeceamento colocado após cruzamento de Corona na direita (10'), repetindo a dose ao minuto 32 com novo golpe de cabeça, agora na sequência de um canto de Alex Telles desviado por Marega ao primeiro poste. Os golos deram confiança suficiente para o FC Porto lidar bem com um Tondela que nunca deixou de procurar jogar, aliás como costuma acontecer sempre que visita o reduto azul-e-branco. Ainda assim, os beirões não conseguiram criar grande perigo. Como frequentemente acontece neste tipo de jogos, o guarda-redes termina como o melhor da sua equipa. Principalmente na segunda parte, o tondelense Cláudio Ramos foi o homem em foco, mostrando várias vezes serviço com a qualidade que lhe é reconhecida. Toda essa qualidade, no entanto, não chegou para impedir o terceiro tento portista (51'), numa jogada colectiva de fazer inveja ao Barcelona de Guardiola. A movimentação passou por Nakajima e Corona, antes de Soares, de calcanhar, desmarcar Otávio para o golo. Fixava-se aí o resultado final. Com o jogo virtualmente decidido, Sérgio Conceição aproveitou para dar minutos a Fábio Silva (entrou aos 74') e Sérgio Oliveira (aos 79'). A imagem positiva deixada pelo FC Porto no final do encontro resulta da sensação de se ter assistido a uma exibição que durou noventa minutos. Devia ser a norma por esta altura do campeonato, independentemente de qual tivesse sido o resultado, mas não tem sido bem assim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:59

Quinta-feira, 12.12.19

Liga Europa, fase de grupos - FC Porto 3-2 FC Feyenoord - Coisas incríveis

FCPFEY.jpg

É fascinante como já passaram séculos e o futebol continua a presentear-nos com coisas incríveis. Quem diria que a tenebrosa viagem do FC Porto por esta fase da Liga Europa terminaria com os dragões no primeiro lugar do seu grupo? E nem o próprio jogo da confirmação escapou à tendência de exibições portistas pouco convincentes. Apesar de tudo, registaram-se cinco golos, e nem se pode dizer que não houve aviso, pois Luis Díaz já tinha testado a atenção de Marsman com um remate colocado (6'), enquanto Berghuis, num livre directo na meia lua, disparou um míssil que encontrou Marchesín no caminho (10'). Díaz seria mesmo o primeiro a marcar (14'), com o guardião a ser mal batido pelo remate do médio colombiano. Logo de seguida (16'), o FC Porto duplicou a vantagem, com Marega a cruzar na esquerda para um embaraçoso auto-golo de Malacia ao segundo poste. Era um conforto um tanto ou quanto caído do céu. Talvez por isso o Feyenoord tenha chegado rapidamente à igualdade, com Botteghin a desviar de cabeça um canto de Kokçu (19'), e um remate cruzado de Larsson (22'), na sequência de uma boa jogada colectiva. O FC Porto chegaria ao terceiro golo por Soares, no aproveitamento de uma defesa incompleta de Marsman (34'). Terá havido falta do avançado portista, que, no fundo, empurrou a bola para a baliza com um carrinho a pés juntos sobre o defesa. Ainda que nem sempre bem jogada, a partida estava a ser um carrossel de emoções, mas a diversão parou por aí, deixando à vista a falta de criatividade do FC Porto para segurar com as duas mãos um Feyenoord que jogava sem grandes rendilhados. Como se isso não bastasse, em certos momentos os dragões concederam demasiados espaços aos de Roterdão, e foi por pouco que não custou caro. Num cruzamento da direita a bola ressalta em Corona, Toornstra e no poste antes de ir ter com Marchesín (70'). Logo a seguir (73'), o guardião argentino foi decisivo ao fazer a mancha a Narsingh, quando este aparece esquecido nas costas da defesa. Talvez o nervosismo de uma última jornada em que tudo estava em aberto para todos tenha contribuído para a insegurança demonstrada pelo FC Porto. Ou talvez isso não tenha interessado para nada. O que fica na Torre do Tombo do futebol, como quase sempre, é a classificação final, que aqui determina o FC Porto como um dos sobreviventes do grupo da morte. Foi por pouco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:59

Domingo, 08.12.19

Liga NOS, 13.ª jornada - Os Belenenses SAD 1-1 FC Porto

BELFCP.jpg

Não assisti ao jogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:00

Quinta-feira, 05.12.19

Taça da Liga, fase de grupos - Casa Pia AC 0-3 FC Porto

CPFCP.jpg

Não assisti ao jogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:50

Segunda-feira, 02.12.19

Liga NOS, 12.ª jornada - FC Porto 2-0 FC Paços de Ferreira

FCPPF.jpg

Não assisti ao jogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:55

Quinta-feira, 28.11.19

Liga Europa, fase de grupos - BSC Young Boys 1-2 FC Porto

YBFCP.jpg

Não assisti ao jogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:00

Domingo, 24.11.19

Taça de Portugal, 4.ª eliminatória - FC Porto 4-0 Vitória FC

FCPSET.jpg

Não assisti ao jogo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:00

Domingo, 10.11.19

Liga NOS, 11.ª jornada - Boavista FC 0-1 FC Porto - Entre o bem e o mal

BOAFCP.jpg

A bomba rebentou na véspera do jogo. Numa fase em que o FC Porto vinha deixando a sua nação em sobressalto, à conta de uma exibições entre o cinzento e o negro, Marchesín, Saravia, Luis Díaz e Uribe eram apanhados nas malhas das redes sociais, alegadamente a horas impróprias, na festa de aniversário da esposa deste último, ficando assim fora das contas para o dérbi. Talvez avisado pelas memórias de recentes edições, o Boavista não foi tão físico - embora calcadelas não tenham faltado -, o que acabava por expor um FC Porto que, na verdade, voltou a não ter muitas ideias. A sensação de segurança, contudo, foi outra. O dérbi, especialmente no Bessa, é sempre um jogo diferente, e quem subiu ao relvado pelo FC Porto esteve à altura das exigências. Pouco incomodado, o guardião Diogo Costa terminou com a folha limpa, enquanto Loum, surpreendente titular, terá sido o melhor dos dragões. Fábio Silva jogou de início pela primeira vez e deixou tudo em campo, ao passo que Mbemba continua a aproveitar da melhor maneira todos os minutos que tem somado recentemente. Os dragões tiveram diversos avanços sobre a baliza axadrezada, mas sem grande perigo, excepção feita a uma desmarcação de Zé Luís, cuja finalização bateu no poste (90'). O golo surgiu cedo (9'), num belo remate cruzado de Alex Telles, de fora da área, no aproveitamento de uma sobra. Foi o suficiente para o FC Porto terminar do lado do bem esta viagem entre o bem e o mal. Leia-se, entre a falta que fariam os quatro castigados, ou o bem que faria aos que têm jogado menos terem a oportunidade de, pelo menos, ameaçar ficar com o lugar. Este encontro foi o último de sete em pouco menos de um mês, desde a última paragem para jogos de selecções.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Miran Pavlin às 23:59



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031