Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO

Todas as fotografias neste blog encontram-se algures em desporto.sapo.pt, salvo indicação em contrário


Terça-feira, 13.05.14

Sporting 0 - Estoril 1 - O final que ninguém queria

O Sporting sofreu a sua primeira derrota em casa nesta época no último jogo do campeonato, num cenário de partir o coração. Estádio com uma excelente moldura humana, com famílias inteiras desejosas por passar uma tarde agradável com futebol, espectáculo e emoção... e depois pouco aconteceu. O Estoril confirmou ser uma das boas equipas do campeonato, mas a verdade é que jogou como qualquer outra equipa pequena em Alvalade, com o bloco baixo, jogando no erro do Sporting, chegando à vantagem no início do jogo e não voltou a rematar à baliza (zero defesas para Rui Patrício). Já muito foi dito sobre este jogo na blogosfera leonina, mas queria só frisar os pontos que ninguém percebeu: porque é que Jardim insistiu em jogadores que já estão com a cabeça noutro lado (William, Adrien, Carrillo - este último com a cabeça certamente em alguma discoteca ou praia do Peru...) e não premiou alguns jogadores menos utilizados dando-lhes a oportunidade de jogar perante aquele público espectacular. É que se tivesse sido este o caso, e o Sporting tivesse acabado por perder, tudo estaria desculpado. Mas assim, tudo correu mal...

 

A equipa mostrou MAIS UMA VEZ ter poucas soluções para este tipo de jogo, que afinal representa 90% do calendário do Sporting: furar o bloco baixo destas equipas exige criatividade e soluções diversas, que infelizmente não abundam. A entrada de Slimani resolve pouco se ninguém estiver na linha para cruzar, e Montero parece sempre muito perdido em campo quando joga mais recuado. A entrada do messias Shikabala animou as hostes, e por pouco não teve o efeito galvanizante que as entradas de Slimani tiveram há uns meses atrás, mas o Estoril soube congelar muito bem os últimos minutos. 

 

O campeonato acabou, o Sporting ficou em segundo e dadas as circunstâncias, é um resultado positivo. Já fiz a análise do plantel há poucas jornadas atrás, portanto não faz sentido fazê-la de novo, sobretudo porque não há nada relevante para acrescentar. A próxima época será um enorme desafio para esta estrutura em especial se Leonardo Jardim sair, tal como vêm noticiando os jornais nos últimos dias. Jardim teve um papel importante neste Sporting, fazendo crescer uma série de jogadores que andaram perdidos (Adrien, Cédric, Rojo), apostando noutros que ninguém conhecia (William, Mané), integrando jogadores sem currículo (Montero, Slimani, Maurício) e criando um espírito colectivo que se notou bem durante este ano que passou. Não deu para mais, devido a uma série de variadas razões, mas reafirmo que o balanço só pode ser positivo, depois do desastre de 2012/2013. Não creio que a saída de Jardim represente um passo atrás no projecto, embora prefira que ele fique. Contudo caso decida seguir o caminho dos petroeuros (amigos como dantes), consta que a hipótese mais forte é Marco Silva. O seu trabalho no Estoril está acima de qualquer suspeita, sobretudo depois de melhorar a classificação do clube depois de vender metade da equipa do ano anterior. Mas o seu real valor no Sporting é uma incógnita. Preferia José Peseiro... mas confio totalmente no Presidente para fazer esta escolha. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 11:10

Sábado, 18.01.14

Arouca 1 - Sporting 2 - Três pontos trazidos do batatal

Não escrevi a crónica do último jogo com o Marítimo porque, como já mencionei aqui, a Taça da Liga merece-me muito pouco respeito. Mas não é só a mim... ainda no outro dia vi as médias de assistência na competição e voltei a questionar-me para que é que raio se continua a jogar uma Taça pela qual não há interesse nenhum. Mas adiante. O jogo importante esta semana era em Arouca, e teve uma componente de dificuldade extra em virtude do péssimo estado do terreno. Durante o jogo choveu copiosamente e o esperado aconteceu: o relvado passou de estar em más condições, para se transformar num lodaçal autêntico. Jardim voltou a sofrer do "síndrome da equipa titular" e voltou a usar André Martins e Montero no onze. Na flash interview da Sport TV, o treinador explicou que Slimani não estava nas melhores condições e só poderia ser usado 30 minutos; da mesma forma, explicou,  apresentou a equipa habitual para tentar jogar da forma habitual enquanto o relvado se aguentava praticável. Quanto a esta última parte não correu bem. O Arouca entrou forte e dominou os primeiros 20 minutos, chegando ao golo numa jogada bonita. Apesar das dificuldades o Sporting conseguiu empatar ainda na primeira parte, na sequência de uma bola parada (por Rojo), mas só na segunda parte, com a entrada de Slimani, o Sporting conseguiu criar sucessivas situações de perigo, conseguindo chegar à vantagem, com mais um golo à matador do argelino. Duas expulsões (uma para cada lado), muita luta, muita lama, e três pontos para o Sporting, que era o que realmente interessava aqui.

 

Destaque para Slimani (mesmo diminuído é fundamental), William (saiu sem ninguém perceber bem porquê, quando se estava a exibir em bom nível; atirou ao poste numa jogada que daria um grande golo), Maurício (grande sacrifício), Rojo (no melhor e no pior)

 

Segundo Jardim, William saiu porque o Sporting precisava de um "lançador" na posição 6 (o Adrien) e portanto, saiu sacrificado em prol da equipa. Com isto André Martins foi "castigado" com 90 minutos, num jogo nada adequado às suas características, enquanto o jogador com mais presença física e que estava a fazer a diferença no meio campo, abandonou as 4 linhas. Creio que ninguém percebeu esta substituição, mas a verdade é que já não é a primeira vez que Jardim faz coisas que só ele compreende (as substituições em Guimarães) e os resultados dão-lhe depois razão.

Segue-se a Académica num jogo em que é fundamental somar os 3 pontos, antes de uma visita efervescente ao Estádio da Luz.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 22:31

Segunda-feira, 12.08.13

A pré-época - Balanço

 

O Sporting fez ontem o último dos jogos de preparação para época 2013/2014. Neste último mês foram notórias as diferenças entre esta equipa e uma outra que jogou com as mesmas cores na época passada. Aliás, arrisco a dizer que qualquer semelhança entre as duas é pura coincidência... 

Tenho dito às pessoas que me rodeiam, que há apenas uma contratação que não pode falhar este ano: o treinador. E até agora o trabalho realizado tem-se sentido de uma forma muito positiva. Nota-se um grupo concentrado, com vontade de interpretar em campo as ideias do treinador, praticando um futebol de processos mais simples, mais rápido, ao primeiro toque. E com esta nova filosofia, este novo modelo de jogo parece-me que há interpretes mais talhados para o executar do que outros. Assim sendo não me chocará se na próxima semana Wilson Eduardo for titular em vez de Diego Capel. E Carrillo comece no banco também. Que Gerson Magrão pegue de estaca no onze, em especial se mantiver esta atitude competitiva. E que William Carvalho jogue no miolo, com ou sem Rinaudo.
Montero parte em vantagem para jogar na frente de ataque, sobretudo por ter mais tempo de treino. Slimani é o avançado com as características que o Sporting precisava há muito tempo, mas resta saber se a adaptação ao futebol português será rápida, e se ao bom porte físico se juntam os atributos técnicos para não ser mais um "purovic" desta vida.

Na defesa moram as maiores incógnitas. Na direita Cédric Soares procura a época de afirmação, mas terá de mostrar muito mais. Welder não comprometeu  na pré-época mas é cedo para dizer que será uma alternativa viável à posição de defesa direito. Na esquerda Jefferson será a primeira opção (parece que Evaldo será bem encaminhado para outras paragens...), tenho como sombra a adaptação de Rojo ou um dos defesas da equipa B (Mica ou King). No meio há que lamentar a falta de propostas para a venda de Rojo, claramente o jogador mais sobrevalorizado do plantel, com uma especial apetência para comprometer e pôr a defesa em apuros. Apesar disso espera-se que seja titular...
Dos restantes candidatos ao centro da defesa, confesso que fiquei impressionado com a pré-época tranquila de Maurício, que cumpriu com eficácia e alguma classe o seu papel. Eric Dier pela sua estatura e entrega, parece-me que terá lugar de caras nesta equipa assim que estiver a 100%. Tiago Ilori é uma carta fora do baralho (pelo menos por enquanto) e todos os outros centrais deverão ser opções regulares na equipa B, sendo chamados à A quando necessário.

No meio campo surpreendeu o ritmo competitivo de Adrien Silva nesta pré-época. Absolutamente irreconhecível! E o supracitado William Carvalho. André Martins tem assumido um papel importante no meio campo e deverá ser opção regular para Jardim. André Santos e Chaby partirão em desvantagem, embora também não tenham comprometido neste último mês.

Na frente de ataque tenho pena que esta não seja a época de afirmação de Labyad, um talento demasiado bem pago para o seu próprio bem. Cissé partirá em desvantagem em relação a Montero & Slimani, mas pode ser que consiga somar minutos ao longo da época. E como dito no ínicio do post, o estilo rápido e simples do futebol de Jardim perde gás no individualismo de Capel e Carrillo. Apesar do espanhol continuar a ser um dos favoritos das bancadas, será necessária uma evolução do seu jogo colectivo para poder dar à equipa aquilo que ela precisa. O mesmo com Carrillo, que a pesar de ter marcado um golo ontem, com a sua habitual displicência perdeu demasiadas bolas na frente de ataque. 

Faltou apenas falar na situação da baliza, que ficará sempre bem entregue quer Rui Patrício fique ou saia.  

 

Depois de uma época miserável a todos os níveis (em especial em termos exibicionais), o Sporting acabou a pré-temporada com indicadores positivos, mostrando que será capaz de se apresentar em muito melhores condições do que há meses atrás. Daqui a algumas semanas será fácil criticar se tudo correr mal, mas agora, antes dos jogos oficiais, parece-me que o Sporting, com a matéria-prima da academia e uma série de contratações de baixo custo, montou uma equipa capaz de brindar o seu público com bom futebol e apresentar resultados positivos caso a sorte e as habituais condicionantes que persistem no futebol português assim o permitirem. Sinal mais para a equipa técnica (ao que parece, alguns destes reforços low-cost estavam debaixo de olho há algum tempo) e para a equipa directiva. Segue-se o Arouca, desta vez a doer, no regresso das matinés a Alvalade.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 18:30



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2019

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30