Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO

Todas as fotografias neste blog encontram-se algures em desporto.sapo.pt, salvo indicação em contrário


Segunda-feira, 24.02.14

Rio Ave 1 - Sporting 2 - Meu querido plano B

O Rio Ave cometeu a proeza de ganhar 3 vezes ao Sporting na época passada e fez por continuar a saga dos bons resultados, depois de ter empatado em Alvalade na primeira volta. Durante a primeira parte tapou bem os caminhos à sua baliza e dispôs da melhor ocasião de golo do primeiro tempo. Felizmente o Sporting mudou de atitude na segunda parte, mas curiosamente até começou por sofrer um golo: após uma perda de bola de Jefferson, Diego Lopes arrancou para a área e Maurício, num corte infeliz atira a bola para dentro da própria baliza. Nesta altura muitos adeptos terão bradado aos céus pela inclusão do brasileiro na equipa, dias depois de ter sido mandado parar pela brigada de transito com uma taxa de alcoolemia acima do permitido... mas a verdade é que nisto dos autogolos, no melhor pano cai a nódoa. Tendo montado a equipa no esquema habitual, desta vez Leonardo Jardim foi mais rápido a mexer, e tirou André Martins mais cedo que o costume. Consequentemente, os resultados apareceram rapidamente: Slimani ganha nas alturas duas vezes e marca um golo, Mané (também saído do banco) responde da melhor maneira a um cruzamento de Carrillo (também saído do banco) e coloca o Sporting em vantagem. Pelo meio ficou o mau futebol jogado num terreno em mau estado, os dois amarelos cirúrgicos a Adrien e Montero e o forte apoio que a equipa teve em Vila do Conde vindo da bancada nascente.

 

Destaque para Slimani (mais uma vez decisivo), Mané (em vias de se tornar um grande jogador), Dier (muito seguro), Cédric & Jefferson (grande esforço de ambos - Jefferson redimiu-se do erro que deu o golo ao Rio Ave, ao assistir Slimani no primeiro do Sporting).

 

Este Sporting está longe de ser a máquina trituradora que todos os sportinguistas gostariam, mas devagar se vai ao longe. Apesar de todas as limitações que esta equipa tem, cada um tem dado o que tem, e o querer e a vontade desta equipa têm vindo ao de cima, mesmo depois dos piores momentos da temporada. Em virtude da época mais tremida dos adversários directos, o Sporting tem-se mantido nos lugares da frente, e como disse Leonardo Jardim, isso também faz parte do processo de aprendizagem desta equipa, cuja maior parte dos jogadores nunca antes fez uma época com a pressão permanente para ganhar todos os jogos. Apesar de tudo, está a ser bom ver esta equipa a crescer, independentemente da classificação que venha a ser alcançada no final da época. 

Segue-se o Braga, uma equipa que acabou de ficar sem treinador. Curiosamente, as equipas grandes têm tido mais dificuldades em casa do que fora... espero que Leonardo Jardim pense bem nesta questão durante a semana...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 15:37

Sábado, 09.11.13

Benfica 3 - Sporting 3 (4-3 após prolongamento) - Quando a vontade disfarça a diferença

Quis o calendário que o Sporting defrontasse o Benfica logo nos 16-avos de final da Taça de Portugal. E aconteceu o mais provável: a vitória do Benfica. Tal como disse a propósito do jogo com o Porto, a diferença que separa o Sporting dos outros dois rivais ainda é bastante significativa, e nem se pode esperar que de repente o Sporting se apresentasse ao nível do Porto e Benfica, que levam muito mais anos de consolidação de processos e estrutura (sem falar nas diferenças de orçamento). Claro que isto não impede a equipa do Sporting de ser competitiva, como foi hoje, e como foi, por ex. na temporada em que José Peseiro esteve à frente da equipa. Apesar de qualitativamente uns furos abaixo dos rivais em diversas posições, a dinâmica colectiva da equipa tem disfarçado essas limitações e tem permitido somar pontos contra as equipas menos cotadas. Aliás, esse para mim é o grande desafio do Sporting este ano, ganhar os jogos que tem de ganhar, contra os adversários teoricamente mais fracos. Até agora falhou apenas no empate contra o Rio Ave. 

Em relação a este jogo, o Benfica entrou forte e facilmente chegou ao intervalo com uma vantagem confortável. Digo facilmente, porque foi notória a diferença de intensidade entre as duas equipas, sobretudo no meio campo. André Martins é um jogador útil contra as tais equipas teoricamente mais fracas, mas nestes grandes jogos não tem físico para lutar no meio campo. Na primeira parte, foram poucas as vezes em que o Sporting chegou com perigo à baliza adversária, e curiosamente conseguiu concretizar a única oportunidade, num lance de bonita conclusão por parte de Capel

Na segunda parte, o figurino do jogo mudou. O Benfica tentou baixar o ritmo de jogo e tentar gerir a vantagem, contudo em dois lances de bola parada o Sporting logrou o empate mesmo no final dos 90 minutos. Pelo meio, Jardim trocou André Martins por Slimani (passamos a ter mais um), e trocou Wilson por Carrilo (passamos a ter menos um). Houve golos falhados de parte a parte, incerteza no resultado, uma expulsão e um lance caricato que acabou por decidir o jogo. Pela segunda parte que fez, o Sporting merecia pelo menos ter discutido o resultado no prolongamento. A expulsão matou o jogo.

 

Notas soltas:

- Rojo é o elo mais fraco deste onze. Expulso num lance totalmente desnecessário.

- A defesa comprometeu, sobretudo naquele inanarrável 4º golo.

- Muitas dificuldades em servir Montero.

- Bom aproveitamento das bolas paradas ofensivas. 

- Patrício alternou entre besta e bestial.

- Carrillo acrescentou zero.

- O Benfica ganhou a maior parte dos ressaltos e bolas divididas.

- Grande presença dos adeptos do Sporting! 

 

Destaco a enorme exibição de William Carvalho (impressionante!), Slimani (marcou um e falhou dois que fizeram falta), Carlos Mané (muito mais esclarecido do que Carrillo - por este andar vai passar à frente do Peruano, como já passou à frente de Salomão & companhia), Adrien (muita luta). 

 

A equipa sai da Taça de cabeça erguida, com a certeza que terá de dar tudo por tudo no campeonato, na luta pela melhor classificação possível. Não esquecer que o Sporting não será cabeça de série na Taça da Liga, podendo ter de visitar o Dragão ou a Luz logo na fase de grupos. Portanto um ano zero nada meigo, mesmo a jeito para testar a fibra desta equipa. Uma batalha perdida numa guerra que irá ser longa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 22:20



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2019

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031