Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CORTE LIMPO


Quarta-feira, 23.04.14

Paços 1 - Sporting 3 + Sporting 2 - Gil Vicente 0 + Belenenses 0 - Sporting 1

Apesar da minha indisponibilidade para escrever as habituais crónicas aqui no Corte Limpo, não poderia deixar de aproveitar uns minutos de tempo livre para fazer um ponto da situação. Apesar do título de campeão ter ficado entregue no passado fim de semana, o Sporting tem dado uma boa imagem de si nas últimas jornadas, indo já na 6ª vitória consecutiva. É certo que já jogou um futebol mais bonito no decorrer da época, contudo a atitude dos adversários mudou (é bastante mais defensiva) o que obriga o Sporting a jogar de uma forma bastante mais pragmática. E apesar do primeiro lugar estar, desde há 6 jornadas, demasiado longe, a equipa não perdeu a concentração e manteve-se focado naquilo que verdadeiramente interessa: a vitória, jogo a jogo. Há umas semanas fiz um pequeno balanço relativamente ao plantel do Sporting e creio que não há grandes razões para o mudar até agora, já que esta equipa continua a ser igual a si própria. Muitos jogadores pensam já nas férias ou no mundial, por isso será também natural que o ritmo vá baixando. Nestes 3 jogos sem crónica, destaque para o grande golo de Adrien em Paços de Ferreira, o golo à Jardel de Slimani contra o Gil Vicente e o primeiro (e emocionado) golo de Héldon pelo Sporting, também ao Gil Vicente.   

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 12:16

Domingo, 09.03.14

Vit. Setúbal 2 - Sporting 2 - O jogo da entrega das faixas

Se no ano passado o jogo com o Estoril foi o começo da queda abrupta do Benfica para o segundo lugar, nesta época, aconteceu exactamente ao contrário. Com a vitória sobre o Estoril e o empate do Sporting em Setúbal, uma semana antes do Sporting - Porto, o Benfica arruma quase definitivamente a questão do título, tendo a possibilidade de fazer um brilharete nas outras competições dada a boa vantagem pontual que detém neste momento. Sobre o jogo de hoje, há muito e pouco a dizer. Foi um jogo interessante de seguir, com incerteza no marcador e oportunidades de parte a parte, contudo totalmente estragado pelos lances polémicos. Um golo mal anulado ao Sporting e 4 golos duvidosos (sendo que a grande penalidade a favor do Setúbal é, sem margem para dúvida uma simulação, sem precisar de repetição) estragaram o espectáculo e voltam a manchar o campeonato. A nível de futebol jogado, o Sporting apostou em Slimani (aposta ganha), Magrão e Héldon de início, alterando o desenho do meio campo. Em consequência dessa mudança, a equipa demorou algum tempo a encontrar-se e permitiu um maior ascendente do Vitória em vários momentos do jogo. Carrillo fez mais uma exibição apática, e começa a perceber-se que nunca se vai tornar num jogador de eleição. E não pode queixar-se de falta de oportunidades...

Destaque para Adrien (muita luta), Slimani (muito forte na finalização, o pior é mesmo a bola lhe chegar), Capel (a sua entrada foi uma mais-valia), Cédric (muito trabalho).

Segue-se o Porto, num jogo importante para definir o segundo lugar. Em condições normais o Porto será superior, mas espero que esta sequência de acontecimentos anormais dê força à equipa para se transcender e jogar no seu limite. Maurício falhará o jogo por castigo, por isso Dier à partida será titular. 
Uma nota final para a titularidade de Slimani: Leonardo Jardim decidiu colocar (e bem) o argelino de início, já que Slimani cumpriu nos últimos jogos. Muitos Sportinguistas acham que Slimani deveria jogar de início com Montero (no tal lugar de 10), mas a todos com quem já tive esta conversa disse que não acredito que isso volte a acontecer. A razão é simples: com o empréstimo de Cissé e Betinho, o Sporting deixou de ter mais pontas de lança no plantel (Enoh é ainda um projecto de jogador para trabalhar na equipa B). Portanto a inclusão de Slimani e Montero de início retira ao treinador a hipótese de ter um plano B caso o jogo não corra de feição. Isso foi notório no jogo com o Benfica, por exemplo. Dessa forma não creio que o treinador volte a arriscar esse cenário.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 19:13

Domingo, 02.03.14

Sporting 2 - Braga 1 - Demasiado sofrimento

Ao contrário do que aconteceu em partidas anteriores, o Sporting entrou decidido a marcar cedo, não dando a primeira parte de avanço. Contudo os deuses da fortuna não quiseram nada com a equipa na primeira parte, e para além das dificuldades na concretização, voltou a sofrer mais um auto-golo caricato (desta vez antes do intervalo). Com o passar do tempo, o Braga tinha encaixado as marcações e Slimani não estava a ser servido convenientemente pelos extremos. Na segunda parte, tal como no jogo com o Rio Ave, apareceu a reviravolta, primeiro numa grande penalidade bem "cavada" por Carlos Mané (a falta não deixa margem para dúvida, mas Mané podia ter chegado à bola se quisesse), concretizada por Jefferson, e depois em mais um golo de Slimani. O Braga não mostrou muito, e apesar de ter alguns jogadores experientes e perigosos, está a anos-luz do que mostrou em épocas anteriores. Do lado do Sporting, apesar das ausências de Adrien Silva e Montero, a equipa respondeu bem, apesar das limitações óbvias de alguns jogadores: Carrilo voltou a perder demasiadas bolas, Magrão não tem a intensidade de Adrien apesar de se ter esforçado, Martins andou escondido do jogo, Vítor mostrou uma natural falta de confiança. Por seu lado, a dupla de centrais esteve em grande nível (Rojo teve impecável!), William Carvalho esteve intratável e Capel entrou muito bem. 
Magrão e Vítor, juntamente com Boeck, foram os maiores prejudicados com a ausência de mais jogos no calendário do Sporting. E é uma pena que não tenham mais oportunidades, mas a verdade é que não podem jogar todos. Em contrapartida, Slimani continua a aproveitar as oportunidades e a maior partes dos adeptos começa a pensar se não se deveria tirar o André Martins do 11, e colocar o Montero atrás de Slimani. Apesar de me parecer que poderia funcionar, não sei de Jardim terá coragem para o fazer. Neste momento, não há mais pontas de lança no plantel e essa mudança tiraria a Jardim a possibilidade de ter um plano B e de mudar o esquema consoante as necessidades dos jogos.. 
Segue-se o Setúbal, uma equipa em crescimento desde a chegada de Couceiro. Já se percebeu que não há jogos fáceis, e só estando ao melhor nível se poderá trazer os 3 pontos. Entramos no terço final do campeonato e os objectivos da equipa estão cada vez mais perto...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 12:42

Segunda-feira, 24.02.14

Rio Ave 1 - Sporting 2 - Meu querido plano B

O Rio Ave cometeu a proeza de ganhar 3 vezes ao Sporting na época passada e fez por continuar a saga dos bons resultados, depois de ter empatado em Alvalade na primeira volta. Durante a primeira parte tapou bem os caminhos à sua baliza e dispôs da melhor ocasião de golo do primeiro tempo. Felizmente o Sporting mudou de atitude na segunda parte, mas curiosamente até começou por sofrer um golo: após uma perda de bola de Jefferson, Diego Lopes arrancou para a área e Maurício, num corte infeliz atira a bola para dentro da própria baliza. Nesta altura muitos adeptos terão bradado aos céus pela inclusão do brasileiro na equipa, dias depois de ter sido mandado parar pela brigada de transito com uma taxa de alcoolemia acima do permitido... mas a verdade é que nisto dos autogolos, no melhor pano cai a nódoa. Tendo montado a equipa no esquema habitual, desta vez Leonardo Jardim foi mais rápido a mexer, e tirou André Martins mais cedo que o costume. Consequentemente, os resultados apareceram rapidamente: Slimani ganha nas alturas duas vezes e marca um golo, Mané (também saído do banco) responde da melhor maneira a um cruzamento de Carrillo (também saído do banco) e coloca o Sporting em vantagem. Pelo meio ficou o mau futebol jogado num terreno em mau estado, os dois amarelos cirúrgicos a Adrien e Montero e o forte apoio que a equipa teve em Vila do Conde vindo da bancada nascente.

 

Destaque para Slimani (mais uma vez decisivo), Mané (em vias de se tornar um grande jogador), Dier (muito seguro), Cédric & Jefferson (grande esforço de ambos - Jefferson redimiu-se do erro que deu o golo ao Rio Ave, ao assistir Slimani no primeiro do Sporting).

 

Este Sporting está longe de ser a máquina trituradora que todos os sportinguistas gostariam, mas devagar se vai ao longe. Apesar de todas as limitações que esta equipa tem, cada um tem dado o que tem, e o querer e a vontade desta equipa têm vindo ao de cima, mesmo depois dos piores momentos da temporada. Em virtude da época mais tremida dos adversários directos, o Sporting tem-se mantido nos lugares da frente, e como disse Leonardo Jardim, isso também faz parte do processo de aprendizagem desta equipa, cuja maior parte dos jogadores nunca antes fez uma época com a pressão permanente para ganhar todos os jogos. Apesar de tudo, está a ser bom ver esta equipa a crescer, independentemente da classificação que venha a ser alcançada no final da época. 

Segue-se o Braga, uma equipa que acabou de ficar sem treinador. Curiosamente, as equipas grandes têm tido mais dificuldades em casa do que fora... espero que Leonardo Jardim pense bem nesta questão durante a semana...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 15:37

Sábado, 18.01.14

Arouca 1 - Sporting 2 - Três pontos trazidos do batatal

Não escrevi a crónica do último jogo com o Marítimo porque, como já mencionei aqui, a Taça da Liga merece-me muito pouco respeito. Mas não é só a mim... ainda no outro dia vi as médias de assistência na competição e voltei a questionar-me para que é que raio se continua a jogar uma Taça pela qual não há interesse nenhum. Mas adiante. O jogo importante esta semana era em Arouca, e teve uma componente de dificuldade extra em virtude do péssimo estado do terreno. Durante o jogo choveu copiosamente e o esperado aconteceu: o relvado passou de estar em más condições, para se transformar num lodaçal autêntico. Jardim voltou a sofrer do "síndrome da equipa titular" e voltou a usar André Martins e Montero no onze. Na flash interview da Sport TV, o treinador explicou que Slimani não estava nas melhores condições e só poderia ser usado 30 minutos; da mesma forma, explicou,  apresentou a equipa habitual para tentar jogar da forma habitual enquanto o relvado se aguentava praticável. Quanto a esta última parte não correu bem. O Arouca entrou forte e dominou os primeiros 20 minutos, chegando ao golo numa jogada bonita. Apesar das dificuldades o Sporting conseguiu empatar ainda na primeira parte, na sequência de uma bola parada (por Rojo), mas só na segunda parte, com a entrada de Slimani, o Sporting conseguiu criar sucessivas situações de perigo, conseguindo chegar à vantagem, com mais um golo à matador do argelino. Duas expulsões (uma para cada lado), muita luta, muita lama, e três pontos para o Sporting, que era o que realmente interessava aqui.

 

Destaque para Slimani (mesmo diminuído é fundamental), William (saiu sem ninguém perceber bem porquê, quando se estava a exibir em bom nível; atirou ao poste numa jogada que daria um grande golo), Maurício (grande sacrifício), Rojo (no melhor e no pior)

 

Segundo Jardim, William saiu porque o Sporting precisava de um "lançador" na posição 6 (o Adrien) e portanto, saiu sacrificado em prol da equipa. Com isto André Martins foi "castigado" com 90 minutos, num jogo nada adequado às suas características, enquanto o jogador com mais presença física e que estava a fazer a diferença no meio campo, abandonou as 4 linhas. Creio que ninguém percebeu esta substituição, mas a verdade é que já não é a primeira vez que Jardim faz coisas que só ele compreende (as substituições em Guimarães) e os resultados dão-lhe depois razão.

Segue-se a Académica num jogo em que é fundamental somar os 3 pontos, antes de uma visita efervescente ao Estádio da Luz.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 22:31

Domingo, 24.11.13

Vitória de Guimarães 0 - Sporting 1 - Sofrimento desnecessário

 

Na flash interview do final do encontro, Leonardo Jardim explicou que não podia pôr Slimani em campo sem que a equipa estivesse preparada para o receber. Portanto, antes do argelino entrar, trocou os dois alas e só aos 80 (!!!!) minutos coloca o segundo avançado em campo. Não há nada a dizer acerca da explicação... afinal Jardim percebe mais de futebol a dormir do que eu acordado. Contudo a pergunta que fica na cabeça de todos os adeptos do Sporting é: era MESMO preciso esperar pelos 80 minutos para tirar o André Martins? Apesar de ser apreciador das qualidades técnicas do André, as suas características não se adequam a todos os jogos... e este era um deles.  

O Vitória desde cedo colocou bastante intensidade no seu jogo, impondo o físico em todas as bolas disputadas e não tendo qualquer problemas em jogar feio, com muito chutão para longe, muitas bolas divididas no futebol aéreo, muitas bolas para a bancada. No geral este foi um jogo mais mal jogado do que bem jogado, com poucas oportunidades de parte a parte, onde os defesas estiveram em evidência, mas os guarda-redes nem por isso...
Em Guimarães, Jardim fez alinhar Carrillo de inicio, e, apesar dos assobios que ouviu quando foi substituído, gostei da sua exibição. Foi o único que fez a diferença em termos ofensivos, conduziu algumas jogadas com inteligência, ajudou até a defender, mas infelizmente nenhuma das suas iniciativas deu golo. Num jogo extremamente físico, Montero, entalado entre os centrais, poucas oportunidades teve de visar a baliza e não havia maneira do Sporting criar perigo. Esta análise podia já ser feita ao intervalo e é por isso que se estranha a entrada muito tardia de Slimani: Montero não conseguia ganhar bolas na frente, André Martins estava claramente em desvantagem na luta do meio campo, o tempo estava a passar e todos os lances pareciam acabar da mesma maneira. É certo que o Sporting teve vários cantos e livres a favor, mas até à entrada de Slimani, foram todos pouco mais do que inofensivos. Quanto ao argelino, continua a impressionar-me no rácio de golos por minutos jogados! Note-se que hoje concretizou uma outra oportunidade (lance anulado correctamente por fora de jogo), e teve um impacto muito positivo nos últimos minutos a segurar a bola no ataque. Uma aposta em cheio de Jardim, que só pecou por fazer toda a gente sofrer até tão tarde.

 

Os destaques de hoje vão para Slimani (mudou tudo), Maurício (a cargo da difícil tarefa de marcar Maazou, esse autêntico "corpo sem alma", esteve bem), Cédric (bom regresso, apoiou o ataque, defendeu com garra), William Carvalho (muito sereno, mesmo condicionado pelo amarelo que recebeu na primeira parte), Dier (exibição positiva)

 

Hoje o Sporting teve aquela ponta de sorte que lhe faltou na eliminatória da Taça contra o Benfica, e que já tinha tido em Braga. Segue-se o Paços de Ferreira e a luta por mais três pontos, num jogo em que espero sobretudo um futebol mais bem jogado, por parte das duas equipas. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 23:24

Sábado, 09.11.13

Benfica 3 - Sporting 3 (4-3 após prolongamento) - Quando a vontade disfarça a diferença

Quis o calendário que o Sporting defrontasse o Benfica logo nos 16-avos de final da Taça de Portugal. E aconteceu o mais provável: a vitória do Benfica. Tal como disse a propósito do jogo com o Porto, a diferença que separa o Sporting dos outros dois rivais ainda é bastante significativa, e nem se pode esperar que de repente o Sporting se apresentasse ao nível do Porto e Benfica, que levam muito mais anos de consolidação de processos e estrutura (sem falar nas diferenças de orçamento). Claro que isto não impede a equipa do Sporting de ser competitiva, como foi hoje, e como foi, por ex. na temporada em que José Peseiro esteve à frente da equipa. Apesar de qualitativamente uns furos abaixo dos rivais em diversas posições, a dinâmica colectiva da equipa tem disfarçado essas limitações e tem permitido somar pontos contra as equipas menos cotadas. Aliás, esse para mim é o grande desafio do Sporting este ano, ganhar os jogos que tem de ganhar, contra os adversários teoricamente mais fracos. Até agora falhou apenas no empate contra o Rio Ave. 

Em relação a este jogo, o Benfica entrou forte e facilmente chegou ao intervalo com uma vantagem confortável. Digo facilmente, porque foi notória a diferença de intensidade entre as duas equipas, sobretudo no meio campo. André Martins é um jogador útil contra as tais equipas teoricamente mais fracas, mas nestes grandes jogos não tem físico para lutar no meio campo. Na primeira parte, foram poucas as vezes em que o Sporting chegou com perigo à baliza adversária, e curiosamente conseguiu concretizar a única oportunidade, num lance de bonita conclusão por parte de Capel

Na segunda parte, o figurino do jogo mudou. O Benfica tentou baixar o ritmo de jogo e tentar gerir a vantagem, contudo em dois lances de bola parada o Sporting logrou o empate mesmo no final dos 90 minutos. Pelo meio, Jardim trocou André Martins por Slimani (passamos a ter mais um), e trocou Wilson por Carrilo (passamos a ter menos um). Houve golos falhados de parte a parte, incerteza no resultado, uma expulsão e um lance caricato que acabou por decidir o jogo. Pela segunda parte que fez, o Sporting merecia pelo menos ter discutido o resultado no prolongamento. A expulsão matou o jogo.

 

Notas soltas:

- Rojo é o elo mais fraco deste onze. Expulso num lance totalmente desnecessário.

- A defesa comprometeu, sobretudo naquele inanarrável 4º golo.

- Muitas dificuldades em servir Montero.

- Bom aproveitamento das bolas paradas ofensivas. 

- Patrício alternou entre besta e bestial.

- Carrillo acrescentou zero.

- O Benfica ganhou a maior parte dos ressaltos e bolas divididas.

- Grande presença dos adeptos do Sporting! 

 

Destaco a enorme exibição de William Carvalho (impressionante!), Slimani (marcou um e falhou dois que fizeram falta), Carlos Mané (muito mais esclarecido do que Carrillo - por este andar vai passar à frente do Peruano, como já passou à frente de Salomão & companhia), Adrien (muita luta). 

 

A equipa sai da Taça de cabeça erguida, com a certeza que terá de dar tudo por tudo no campeonato, na luta pela melhor classificação possível. Não esquecer que o Sporting não será cabeça de série na Taça da Liga, podendo ter de visitar o Dragão ou a Luz logo na fase de grupos. Portanto um ano zero nada meigo, mesmo a jeito para testar a fibra desta equipa. Uma batalha perdida numa guerra que irá ser longa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 22:20

Sábado, 02.11.13

Sporting 3 - Marítimo 2 - A visita de fantasmas antigos

Depois da derrota no Dragão e antes de uma visita à Luz era fundamental voltar às vitórias. Tal aconteceu mas não foi fácil. O Sporting apresentou-se com algumas alterações em relação ao último jogo (entraram Dier, Jefferson, Vitor e Capel) e entrou bem no jogo, com uma boa atitude competitiva, premiada com o primeiro golo da partida aos 29 por Diego Capel. Apesar de ter surgido de uma boa jogada do espanhol, a fazer uma diagonal da direita para a esquerda, mesmo a jeito para a rematar colocado com o pé esquerdo, confesso que me faz confusão o seu posicionamento no lado direito do ataque. Apesar de ser uma estratégia usada frequentemente para baralhar marcações, nessa zona do terreno, Capel é pouco mais que inconsequente quando ensaia cruzamentos do lado direito... mas adiante. Parecia que o mais complicado estava conseguido, mas os minutos seguintes vieram provar exactamente o contrário. Um livre directo superiormente executado e um penalty fortuito, numa altura em que o jogo estava bastante aberto fez com que, sem que nada o fizesse prever, o Sporting chegasse ao intervalo a perder. Esta falta de sorte) tão normal na época passada!) era demasiado penalizadora para aquilo que a equipa tinha produzido na primeira parte. 

Felizmente a justiça no marcador chegou no segundo tempo. Com a saída de Carrillo (muito apagado e pouco decidido), o futebol atacante do Sporting tornou-se mais objectivo e por pura infelicidade (Montero falhou duas boas oportunidades para empatar) o empate chegou apenas aos 67 minutos, num belo golo de Slimani (o pinheiro que faltava desde os tempos do Paulo Sérgio). Até ao final registo para outra oportunidade perdida (escandalosa - desta vez por Slimani) e o lance do penalty que resolveu o jogo. No geral, foi uma exibição bem conseguida da equipa, num jogo com emoção, golos, incerteza no resultado que certamente não defraudou quem esteve no estádio. Mais do que os resultados positivos, era isto que faltava ao Sporting.

 

Nesta noite destaco Diego Capel (pelo golo e por ter sido o motor da equipa), Slimani (decisivo), William Carvalho (o pêndulo) & Adrien (muita luta e muito trabalho). Houve muitos passe falhados e muitas bolas perdidas... é certo que foi algo que aconteceu de parte a parte, mas é necessário muito trabalho nos treinos para que isto deixe de acontecer. A defesa teve alguns momentos de fragilidade (bolas paradas, alguns duelos em velocidade) mas felizmente sem que tivessem afectado a conquista dos 3 pontos. 

Segue-se um jogo ingrato quer para o Benfica quer para o Sporting, numa altura em que o campeonato vai voltar a parar 3 semanas. Sinceramente, creio que esta redução do número de equipas a jogar na primeira divisão veio prejudicar a competitividade da prova e estes logos períodos sem jogos "a sério" só prejudica as equipas. Numa altura em que a liderança da Liga de Clubes é posta em xeque, esperemos que o futuro do futebol em Portugal seja repensado e siga numa direcção que beneficie a competição e o público em geral. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Kirovski às 22:38



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2018

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930